terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Existem 14 vagas para alunos que querem concluir o ensino secundário numa escola lá fora


Artigo de Clara Viana que saiu no Jornal Publico de hoje: 
"Candidaturas às escolas do movimento United World Colleges arrancam esta segunda-feira. Propiciar o contacto diário com outras culturas e serviço comunitário são dois dos pilares do movimento.
Concluir o ensino secundário numa escola de outro país é um dos desafios lançado pelo movimento United World Colleges (UWC), que este ano tem 14 vagas destinadas a alunos portugueses entre os 16 e os 18 anos, 11 das quais com bolsas que cobrem entre 25% a 100% das despesas. O processo de candidaturas inicia-se nesta segunda-feira e decorrerá até 17 de Janeiro.
Os UWC surgiram na década de 60 do século passado e têm na sua base a promoção do contacto entre diferentes culturas. Existem 15 colégios ligados a este movimento, actualmente presidido pela rainha Noor da Jordânia, que descreve assim os objectivos do projecto: “educar activistas para a paz e os líderes do futuro, capazes de enfrentar os desafios das suas próprias sociedades e contribuir para a construção de pontes entre comunidades e culturas”.
Segundo o movimento UWC, a convivência diária com alunos de muitas outras nacionalidades é um dos trampolins para esta missão e também o facto de a formação ter como componente obrigatória a realização de serviços à comunidade onde estão inseridos. Este tipo de acções está aliás também contemplado no programa académico seguido nestes colégios, o chamado International Baccalaureate (IB).
Na última selecção, realizada em 2014, houve nove vagas para estudantes portugueses. Francisca foi uma das escolhidas. Poucos meses depois de “aterrar” no Mahindra College, na Índia, escrevia num dos blogues em que estes alunos contam as suas experiências: “É incrível como tudo o que se passa no mundo real tem mais que um significado agora que sabemos olhar com outros olhos”.
Na selecção dos candidatos tem-se em conta o desempenho académico, mas sobretudo o seu “mérito pessoal”, explicou ao PÚBLICO a presidente da Associação Portuguesa dos UWC, Clara Cruz, uma ex-aluna destes colégios. “Procuram-se candidatos capazes de integrar um ambiente internacional que oferece um exigente programa curricular de dois anos, e que demonstrem sobretudo iniciativa pessoal; desejo, capacidade e confiança para melhorar o meio em que se inserem; responsabilidade e respeito pelo outro; criatividade e maturidade”, especificou.
Existem 13 colégios com vagas reservadas para estudantes portugueses para o biénio 2016/2018, situados em países como a Alemanha, Arménia, Índia, China ou Costa Rica, entre outros. As propinas para os dois anos oscilam entre os 34 mil euros e os 86.905, cobrados pelo colégio de Changshu, na China, onde a vaga existente tem garantida uma bolsa que cobre 58% das despesas. Há três bolsas integrais destinadas a custear a formação nos colégios da Alemanha e Arménia.
As bolsas, que não incluem o pagamento das viagens, são atribuídas “com base nas necessidades financeira dos candidatos, de forma a apoiar quem mais necessita”, especifica Clara Cruz.
O processo de selecção é composto por duas fases. A primeira, que se inicia nesta segunda-feira, é feita com base nos formulários de candidaturas que são preenchidos online na página da associação portuguesa dos UWC ( http://pt.uwc.org/candidaturas/processo-de-seleccao). A segunda fase, que decorrerá entre 6 e 9 de Fevereiro, inclui dois dias de actividades e uma entrevista final. 
Lista de colégios com vagas para estudantes portugueses
- 1 bolsa de estudo até 100% para o UWC Robert Bosch College, Alemanha (valor total da propina para o biénio 51 mil euros)
- 2 bolsas de estudo até 100% para o UWC Dilijan, Arménia (valor total da propina 65.025 euros)
- 1 bolsa de estudo até 75% para o UWC Red Cross Nordic, Noruega (valor total da propina 47.500 euros)
- 1 bolsa de estudo até 75% para o UWC Maastrich, Holanda (valor total da propina 53.500 euros)
- 1 bolsa de estudo até 58% para o UWC Changshu, China (valor total da propina 86.905 euros)
- 1 bolsa de estudo até 50% para o UWC Atlantic College, Reino Unido (valor total da propina 79.595)
- 1 bolsa de estudo até 50% para o UWC Costa Rica, Costa Rica (valor total da propina 65.025 euros)
- 1 bolsa de estudo até 50% para o UWC Adriatic, Itália (valor total da propina 43 mil euros)
- 1 bolsa de estudo até 37% para o UWC Changshu, China (valor total da propina 86.905 euros)
- 1 bolsa de estudo até 25% para o UWC Mahindra College, Índia (valor total da propina 53.400 euros)
- 1 vaga sem bolsa para o UWC-USA, Estados Unidos da América (valor total da propina 68.275 euros)
- 1 vaga sem bolsa para o UWC Atlantic College, Reino Unido ( valor total da propina 79.595 euros)
- 1 vaga sem bolsa para o Waterford Kamhlaba, Suazilândia (valor total da propina 34.000 euros)



Sem comentários: