terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Faz-te ao mercado



Aqui (http://www.fazteaomercado.org/ ) poderá aceder a toda a informação relevante sobre o "Estudo sobre o (Des) Encontro entre a Procura e a Oferta de Competências no Mercado de Trabalho e a sua Relação com a Empregabilidade Jovem", dirigido a instituições de ensino e formação, jovens, técnicos de intervenção e entidades empregadoras. 
Conheça as conclusões desta investigação nacional realizada pela TESE - Associação para o desenvolvimento - e explore as soluções que propõe para incentivo à Empregabilidade Jovem em Portugal.

As COMPETÊNCIAS SOCIAIS e TRANSVERSAIS mais valorizadas pelos empregadores:
  • Responsabilidade
  • Disponibilidade para aprender
  • Pró-actividade e iniciativa
  • Motivação
  • Trabalhar em equipa  
No mesmo site, o GUIA "Tens as competências que os empregadores procuram?", (aqui)


- TSF , ouvir a entrevista  a Helena Gata responsável pelo estudo. 

 - Jornal Publico  - O PAPEL da ESCOLA
Que características deve um jovem ter para arranjar emprego? artigo de Maria João Lopes, que saíu no Publico de ontem, na sua ultima parte:
"Na pergunta “Que tipo de preparação para o mercado de trabalho é feita pelas instituições de ensino?”, a investigação permitiu verificar que “faltam pontes com o mercado de trabalho” e que há “lacunas ao nível das experiências práticas ao longo do percurso formativo”. Por exemplo, numa escala de 1 a 5, os recursos humanos consideram que, na formação dos jovens, os “conhecimentos práticos” estão no nível 2,58 e a atenção dada às “necessidades do mercado” no patamar 2,83.
Nos documentos disponibilizados pela TESE, considera-se ainda que o sistema de ensino revela “pouca capacidade” para “preparar os jovens para a entrada no mercado de trabalho” e as autoras deixam algumas sugestões: “introduzir mais experiências práticas e de formação em contexto de trabalho”; “criar pontos de ligação entre as universidades e as empresas” e “assegurar uma maior adequação dos currículos às necessidades do mercado de trabalho”. Às instituições de ensino, aconselha-se ainda o “afastamento dos processos de estandardização do ensino e da formação dos currículos que não explora as potencialidades de cada indivíduo”.
Outras recomendações passam por “reforçar o autoconhecimento” dos jovens, apostar em “programas de mentoria, de desenvolvimento de talentos e de competências, dentro e fora do sistema de ensino”. Nas empresas, as autoras recomendam “um melhor acompanhamento das primeiras experiências profissionais” e dar mais feedback aos jovens. Quanto às políticas e medidas públicas de incentivo ao emprego jovem, como por exemplo estágios profissionais, recomenda-se “o bom acompanhamento dos estagiários”.
Já os jovens devem “apostar na diversificação e expor-se a diferentes experiências extra-escola”. Exemplos: “experiências de mobilidade internacional”, de voluntariado, entre outras. São “altamente valorizadas pelos empregadores”, alertam as autoras.
A directora-executiva da TESE, Helena Gato, lamenta que, em Portugal, haja uma “elite” com mais capacidade para investir nestes tipo de competências e que o ensino público não invista mais nelas. Alega que continua a haver famílias com mais capacidade para suportar actividades ou programas no estrangeiro, o que não assegura as mesmas “oportunidades” a todos."





sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Portaria n.º 62/2017 e Retificação

 - PORTARIA nº 62/2017 - Diário da República n.º 29/2017, Série I de 2017-02-09 
Finanças e Trabalho, Solidariedade e Segurança Social
Portaria que atualiza os montantes do abono de família para crianças e jovens, do abono de família pré-natal, e respetivas majorações, e do subsídio de funeral.
ACEDER AQUI

 - DECLARAÇÃO de RETIFICAÇÃO nº 3/2017 - Diário da República n.º 39/2017, Série I de 2017-02-23
Trabalho, Solidariedade e Segurança Social 
Retificação da Portaria n.º 62/2017, de 9 de fevereiro.
ACEDER AQUI

Trabalho de e por projeto


https://webinars.dge.mec.pt/




Na escola, multiplicam-se as referências a «projetos de trabalho». No plano das intenções, reconhece-se que esses projetos constituem uma alternativa a práticas pedagógicas mais rotineiras, permitindo a mobilização dos saberes em situações de aprendizagem significativas. 

No entanto, na prática, o trabalho por projeto continua a ser realizado de forma pouco sistemática, afirmando-se frequentemente que os alunos são pouco autónomos, mesmo quando se trabalham de temas pensados em função dos seus interesses.
Neste contexto, importa refletir sobre a natureza das dinâmicas de trabalho desenvolvidas e sobre o grau de implicação dos alunos nessas mesmas dinâmicas, destacando:
- a necessidade de experimentar percursos de aprendizagem que visem a produção e a socialização de obras culturais;
- a importância de assegurar a instituição de uma efetiva conduta de projeto, perspetivando os alunos enquanto autores e não apenas enquanto executores de propostas que, no essencial, não foram por eles pensadas;
- o papel fundamental da avaliação cooperada dos percursos de trabalho e das aprendizagens.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Conclusões do Seminário: Alargamento da Escolaridade Obrigatória: contextos e desafios

seminário Alargamento da Escolaridade Obrigatória: contextos e desafios teve como objetivo identificar e refletir sobre as várias dimensões da escolaridade obrigatória e assinalar problemas e desafios, nomeadamente:
  • Equidade e sucesso e inclusão de crianças e jovens com necessidades educativas especiais
  • Mobilização social para o sucesso educativo
  • Diferenciação de percursos e aprendizagens
  • Orientação escolar e profissional/decisão
  • Organização escolar
Consulte aqui a publicação e conclusões que resultaram deste seminário:

Portaria n.º 74/2017

Portaria n.º 74/2017 - Diário da República n.º 38/2017, Série I de 2017-02-22
Finanças 
Define os procedimentos para as despesas referentes à alimentação em refeitório escolar dedutíveis à coleta do IRS.
ACEDER AQUI

VÍTIMA de VIOLÊNCIA ou em crise?


Lisboa já tem um Gabinete de Apoio à Vítima para Juventude LGBTI, gerido pela associação Casa-Qui.
Este gabinete presta apoio especializado a jovens e vítimas de algum tipo de violência ou dificuldade relacionada com a orientação sexual, identidade e/ou expressão de género.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Simon Sinek - a Geração Y no local de trabalho



Simon Sinek - Millennials in the Workplace

A GERAÇÃO Ytambém conhecida por MILLENNIALS no mundo do trabalho
(legendas em português)

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

LIVRO: Educación emocional en la infancia


Autora y dirección pedagógica. Cristina García Pedagoga, educadora y terapeuta. Especialista en infancia, orientación familiar y educación emocional.Dedicada a orientar a padres desde el momento del embarazo para que guíen desde el amor y no desde el miedo. 

Desde hace tiempo se sabe que la educación emocional puede ayudar con múltiples aspectos como la frustración, la baja autoestima, conflictos familiares, desmotivación e incluso el bulling. Cada vez está más presente,  pero aún falta para que esté en todos los colegios como materia transversal. 
Por eso en Edúkame han creado y puesto a disposición de todo el mundo un eBook gratuito de 44 páginas para maestros y maestras. El contenido del libro es el siguiente:

Fundamentos:
·                     Qué saber 
·                     Emociones y sentimientos
·                     Las emociones en la infancia
·                     Expertos en comunicación no verbal
·                     Características de las emociones infantiles
·                     ¿Cómo expresan sus emociones los niños
·                     ¿Existen emociones buenas o malas?
·                      Aceptar y potenciar la otra polaridad
Pongámoslo en práctica:
·                     Recursos para la educación emociona
·                     Educación emocional en casa y en el aula
·                     Educar las emociones en edades tempranas 
·                     ¿En qué beneficia?
·                     ¿Por dónde empezamos? 
·                     Identificar y reconocer
·                     Vocabulario emocional y expresiones corporales
·                     Reconocer las emociones de los demás
·                     Aceptar, validar
·                     Normalizar las emociones
Lo puedes descargar  haciend click aqui , totalmente gratis.



domingo, 19 de fevereiro de 2017

Designing Your Life




http://designingyour.life

Os autores de Designing Your Life encorajam as pessoas a encarar os maiores desafios como um designer cria um produto e a fazer três planos de vida diferentes.
Faça três planos de vida, não um. O concelho vem de dois professores da Universidade de Stanford, autores do livro Designing Your Life. Segundo Bill Burnett e David Evans, é um erro assumir que na vida só existe um caminho correcto e que uma escolha errada pode deitar tudo a perder. “Há muitas versões de cada pessoa. Há muitas respostas certas”, assegura Evans, citado pelo New York Times.
A dupla de autores ensina-nos a pensar como designers – tanto no livro, como naquela que é, segundo a Fast Company, a disciplina mais popular da Universidade de Stanford. O conceito de design thinking – como normalmente é designado – consiste em lidar com os problemas da vida seguindo os mesmos princípios que os designers usam para a criar um produto. Imaginando que esse produto era uma caneta, a primeira fase seria estudar aquilo que o público-alvo procura, para depois pensar em possíveis soluções, criar um protótipo e testá-lo junto do mesmo grupo. O processo repetir-se-ia até que o produto servisse as necessidades do público-alvo.
 “Um estágio é essencialmente um protótipo. Seguir um médico durante um dia para saber se queres ser cirurgião é um protótipo. É viver no mundo das pessoas que estão a fazer aquilo que achamos que queremos fazer”, explica Bill Burnett, num vídeo publicado pela Universidade de Standford.
Segundo Burnett, design thinking é uma ferramenta para resolver problemas difíceis. Um deles é decidir “o que quero ser quando crescer”, diz. Certo que o curso que ensina em Stanford está direccionado para jovens que não começaram ainda a vida profissional, mas não deixa de ter igual importância para todas as idades: pessoas que pensam mudar de emprego e de carreira ou mesmo adultos que começam a imaginar aquilo que vão fazer na reforma. “Todos querem saber o que vão ser quando crescerem. É uma pergunta que nunca desaparece”, garante Burnett.
Um plano para cada vida
Um dos exercícios-chave de Designing Your Life (livro e disciplina) é a criação de três planos de vida para os próximos cinco anos. Burnett e Evans chamam-lhe Odyssey Plans: o primeiro sobre a vida que já está a viver; o segundo sobre a vida que criaria se a primeira desaparecesse de repente e o último sobre a vida que escolheria se o dinheiro ou as aparências não contassem como factores.
Depois, deve dar um título de seis palavras a cada plano e escrever três dúvidas que tenha sobre os mesmos. O último passo é avaliar cada plano, segundo quatro parâmetros: recursos disponíveis; quanto gosta do plano; grau de confiança e nível de coerência.
O modelo base para desenhar o Odyssey Plan está disponível no site de "Designing Your Life". Pode encontrá-lo nesta página.
Quando a introdução de novas tecnologias põe em constante mudança o mercado de trabalho, o conceito de aprendizagem ao longo da vida é cada vez mais revelante. A estratégia de design thinking ensina os estudantes a pensarem de forma crítica – algo essencial numa economia que exige soluções criativas. “Esta geração vai com certeza ter pelo menos duas carreiras diferentes – talvez três – porque pode ser a primeira geração a trabalhar durante 70 anos”, avisa Burnett.
Fonte: Publico P3 de hoje


Carta dos Deveres dos Pais no Desporto



A Carta dos Deveres dos Pais no Desporto que o Panathlon Clube de Lisboa lançou publicamente no final da Conferência Internacional sobre o Papel dos Pais no Desporto, sobre a qual se espera uma elevada adesão dos pais e familiares dos jovens desportistas, como forma de se actuar com o objectivo de obter uma melhor educação, com ética, fair play e espírito desportivo.

Com isso, dar-se-á mais um passo para melhorar o comportamento dos cidadãos enquanto, para o caso, pais que acompanham amiúde os filhos nas actividades desportivas que cada um pratica.

O Panathlon Clube de Lisboa - com o apoio da EDUGEP, Comité Olímpico de Portugal e IPDJ (Plano Nacional de Ética no Desporto) - promoveu, sábado passado, uma Conferência Internacional sobre o Papel dos País no Desporto, de onde saíu esta Carta, na sequência da iniciativa tomada pelo Panathlon Internacional.
Um caminho que foi agora aberto - no seguimento de outros projectos sobre o fair play e a ética - e que será divulgado ao longo de todo o ano de 2017.
Fonte: Panathlon Clube de Lisboa - Facebook https://www.facebook.com/PanathlonClubeLisboa/

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Aprovado o quadro de transferências de competências para as autarquias


COMUNICADO DO CONSELHO DE MINISTROS DE 16 DE FEVEREIRO DE 2017

1. O Conselho de Ministros aprovou a proposta de lei que estabelece o quadro de transferência de competências para as autarquias locais e para as entidades intermunicipais, concretizando os princípios da subsidiariedade, da descentralização administrativa e da autonomia do poder local.
O diploma prevê a definição de um mecanismo para a redistribuição de competências, de meios financeiros e de recursos humanos e contempla o alargamento da respetiva participação nos domínios da educação...

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

"Estudo nacional sobre violência no namoro”



No dia 14 de fevereiro 2017, a União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR) promoveu uma conferência de imprensa de lançamento do novo “Estudo nacional sobre violência no namoro, que contou com a presença da Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Catarina Marcelino, bem como do Diretor de Serviços da Delegação do Norte da Comissão da Cidadania e a Igualdade de Género, Manuel Albano. Este estudo tem por base uma amostra de 5500 jovens, com uma média de idades de 15 anos, e foi implementado em todo o território nacional. Entre os dados divulgados, destacam-se, entre muitos outros: 24% de jovens considera normal partilhar fotos íntimas ou insultar através das redes sociais e 14% legitima a violência psicológica, havendo 19% que já foi vítima deste último tipo de violência.

Uma abordagem escolar integrada para a prevenção do abandono escolar


Política educativa Uma abordagem escolar integrada para a prevenção do abandono escolar Recomendações sobre política educativa.
Comissão Europeia 
2015

Este documento apresenta as conclusões do Grupo de Trabalho para a Política Educativa ET 2020 (2014-15) da União Europeia1 sobre a sua prioridade temática: o abandono escolar precoce. O documento reflete os resultados do trabalho conjunto dos representantes dos governos nacionais de 30 países da UE, de países europeus associados e de organizações europeias de parceiros sociais. 

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Quadro Europeu de Referência para a Competência Digital - atualização



A Direção-Geral da Educação disponibiliza em acesso aberto a versão portuguesa da atualização do DigComp - Quadro Europeu de Referência para a Competência Digital, também denominado por DigComp 2.0.
A tradução da nova versão surge no seguimento do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido por investigadores do CIDTFF e inclui a primeira de duas atualizações previstas pela Comissão Europeia para o DigComp.

TESE " Promoção do sucesso e ajustamento escolar : estudos sobre a eficácia e efetividade de programas de desenvolvimento socioemocional para alunos do 4º ao 9º ano."

COELHO, Vítor Alexandre Belo de Moura Pereira - Promoção do sucesso e ajustamento escolar : estudos sobre a eficácia e efetividade de programas de desenvolvimento socioemocional para alunos do 4º ao 9º ano. Coimbra : [s.n.], 2015. Tese de doutoramento.

Palavras - chave
  • aprendizagem socioemocional
  • transição para o 2º ciclo
  • efetividade
  • autoconceito
  • social and emotional learning
  • middle school transition
  • effectiveness
  • selfconcept
  • school adjustament

ACEDER
https://estudogeral.sib.uc.pt/handle/10316/26524
https://estudogeral.sib.uc.pt/jspui/handle/10316/26524

Educar para a participação democrática



Práticas promotoras de cooperação entre alunos
Educar para a participação democrática depende do modo como, em qualquer área curricular, se planifica e se concebem os desafios educativos, os apoios e os recursos, se promovem as práticas de cooperação entre pares no espaço da sala de aula, ou como se estimula a reflexão solidária sobre as experiências vividas. Não se podem circunscrever os projetos de educação para a cooperação ao desenvolvimento de práticas colaborativas entre alunos em momentos circunscritos ou a temas e disciplinas privilegiadas, do mesmo modo que não há materiais e recursos mais adequados para se promover um tal projeto, já que é o modo como esses materiais e recursos são utilizados que determina a possibilidade de um tal projeto ocorrer. Importa romper com os pressupostos do paradigma da instrução e do ensino simultâneo e se compreenda que as práticas cooperativas são uma oportunidade de formação pessoal e social dos alunos que as realizam e que as vivenciam. Aprender com os outros é a grande oportunidade que a escola para todos proporciona aos seus alunos, ampliando os seus horizontes, as suas experiências e reconhecendo nos outros as diferenças, de forma a que consiga compreender melhor a sua singularidade.

http://webinar.dge.mec.pt/

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Bolsa Fulbright / Fundação Carmona e Costa para Mestrado em Belas Artes - Desenho


Comissão FullbrightPortugal, divulga as Bolsas Fulbright/Fundação Carmona e Costa

Destinatários
Licenciados que pretendam realizar um Mestrado em Belas Artes-Desenho numa Universidade americana.

No âmbito deste Programa, para o ano letivo 2018/2019, prevê-se uma comparticipação financeira máxima de 32.500 dólares para o primeiro ano do programa de Mestrado e de 25.000 dólares para o segundo ano.

Data da candidatura
As candidaturas dos interessados poderão ser efetuadas até 31 de março de 2017

Modo de candidatura
Através de formulário em http://www.fulbright.pt/

Consultar documento: AQUI



Preservativos - interno e externo



A brochura Preservativo é um novo material pedagógico, com uma nomenclatura mais inclusiva do preservativo: Interno e Externo, com o objetivo de promover o uso de qualquer um dos preservativos em relações de homens que têm sexo com homens e de pessoas que, tendo vagina, expressam outras identidades de género.
Ficha técnica:
Formato: 12,5 x 12,5 cm
Páginas: 28
Coordenação e Texto: Sónia Duarte Lopes e Bruno dos Santos
Revisão: Claúdia Teque, Elisabete Fernandes, Inês Eugénio Malta, Isabel Peres, Mara Carvalho, Marisa Moreira, Nélson Ramalho, Sara Nasi.
Editor: APF
Ano: 2017

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

ACTAS do Seminário "Transição do Ensino Secundário para o Ensino Superior: percursos e redes de suporte"



Nos dias 9 e 10 de março de 2017 o Auditório da Reitoria da Universidade de Coimbra recebe o seminário "Transição do Ensino Secundário para o Ensino Superior: percursos e redes de suporte". De acordo com a comissão organizadora do seminário, "as transições do ensino secundário para o ensino superior e deste para o mundo do trabalho surgem em contextos desenvolvimentais de grande complexidade na ótica da construção identitária e da inserção socioprofissional e revestem-se de um profundo impacto na organização do percurso de carreira e de vida dos jovens adultos"

NORMA 1/JNE/2017



NORMA 1
Júri Nacional de Exames 2017
Instruções para a Inscrição de Provas e Exames do Ensino Básico  e do Ensino secundário

Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória


Após submissão a debate e discussão pública, com ampla participação, o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória  foi homologado pelo Senhor Secretário de Estado da Educação, através do Despacho n.º 6478/2017, de 26 de julho, constituindo-se como um documento de referência para a organização de todo o sistema educativo e para o trabalho das escolas, contribuindo para a convergência e a articulação das decisões inerentes às várias dimensões do desenvolvimento curricular.


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Jovens voltam a ter linha gratuita para tirar dúvidas sobre sexualidade


É anónimo e confidencial e pretende ajudar os jovens que tenham dúvidas sobre Saúde Sexual e Reprodutiva. O serviço telefónico «Sexualidade em Linha» do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) – 800 222 003 – voltou a ser gratuito, independentemente da rede telefónica de quem o contacte, e passa a funcionar aos sábados.
Segundo o IPDJ, este serviço dirige-se aos jovens e «privilegia a informação, esclarecimento, orientação e encaminhamento na área da Saúde Sexual e Reprodutiva». As dúvidas podem ser tiradas entre as 11h00 e as 19h00, nos dias úteis, e entre as 10h00 e as 17h00, ao sábado. (Fonte:http://www.sulinformacao.pt/ )

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Transição e adaptação ao ensino superior e a demanda pelo sucesso nas instituições portuguesas

SOARES, Andreia Martins; PINHEIRO, Maria do Rosário; CANAVARRO, José Manuel Portocarrero. Transição e adaptação ao ensino superior e a demanda pelo sucesso nas instituições portuguesas. Psychologica, [S.l.], p. 97-116, ago. 2016. ISSN 1647-8606. Disponível em http://iduc.uc.pt/index.php/psychologica/article/view/3184

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Plataforma "Português mais perto"



A Plataforma   Português mais perto constitui uma nova ferramenta disponível para o ensino e aprendizagem do português, reunindo dezenas de aulas interativas para a aprendizagem da língua. Está concebida como um apoio às famílias, na sua esfera educativa, proporcionando uma experiência de estudo orientada para a aprendizagem individual e autónoma do aluno, complementada, numa segunda modalidade, com a possibilidade de dispor de apoio de um tutor.
Destina-se, sobretudo, a auxiliar as crianças e jovens que iniciaram o percurso educativo em Portugal e, agora, em virtude da emigração temporária dos seus pais, se encontram a residir no estrangeiro, tendo no seu horizonte voltar ao sistema escolar português; mas também para as crianças e jovens de origem portuguesa escolarizados no estrangeiro, para os quais foi criada a oferta de Português Língua de Herança. Resulta da colaboração entre uma editora nacional, a Porto Editora, e o Camões, I.P.

Iniciativas Europeias: Europass; Euroguidance e Quadro Europeu de Qualificações




Este webinar visa dar a conhecer três Iniciativas Europeias de apoio à mobilidade e à orientação de carreira.

Pretende-se elucidar sobre as potencialidades de três instrumentos europeus, dentro deste âmbito, designamente, o Europass, o Euroguidance e o Quadro Europeu de Qualificações.
Neste webinar poderá ficar a saber mais sobre o que são cada um destes instrumentos, que objetivos se propõem alcançar, qual o público-alvo a que se destinam e que atividades desenvolvem na prossecução das suas missões.

Com Catarina Oliveira e João Ribeiro

Circuitos Ciência Viva



Circuitos Ciência Viva — um projecto que conta com 18 circuitos, 54 percursos, 200 etapas e muitos desafi os. A viagem pode ser feita com um guia em papel, uma aplicação no telemóvel e um cartão com descontos.
 A ideia dos Circuitos Ciência Viva surgiu da Rede de Centros Ciência Viva instalada pelo país.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Roda dos Alimentos Mediterrânica

nova Roda dos Alimentos Mediterrânica é agora apresentada numa versão interativa. Ao longo desta ferramenta é possível explorar os vários grupos de alimentos característicos do padrão alimentar mediterrânico, juntamente com os princípios associados ao estilo de vida mediterrânico
ACEDER
http://www.alimentacaosaudavel.dgs.pt/roda-dos-alimentos






Já há uma palataforma online de empregos só na Madeira


Acaba de ser lançada a primeira plataforma online de empregos, dedicada à Ilha da Madeira e 100% gratuita.
Esta plataforma tem como objectivo colmatar uma necessidade existente na Região, vindo desta forma ajudar as empresas madeirenses, bem como residentes da Ilha da Madeira na procura e divulgação de emprego local.
Os autores instam assim os interessados a aderirem, nomeadamente as empresas que podem assim contribuir para a criação de emprego na Madeira, onde podem publicar, gerir novas ofertas de emprego e receber currículos dos novos potenciais colaboradores, isto tudo de forma gratuita.
Fonte: Diário de Notícias da Madeira de 6. 2 17

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Projecto "Justiça para Tod@s"




Justiça para Tod@s ( http://www.justicaparatodos.net) é um projeto de promoção dos valores democráticos, utilizando a Educação para a Justiça e o Direito (em especial, Direitos Humanos) como ferramenta cívica fundamental para o fortalecimento do Estado-de-Direito. Desenvolve-se através de ações de sensibilização, divulgação, workshops e, sobretudo, jogos de simulação de um caso em Tribunal. É dirigido a jovens (12 - 25 anos) com particular atenção a grupos desfavorecidos, grupos de risco e grupos sujeitos a discriminação.
O projeto constitui uma proposta inovadora no terreno de ação/temática e na metodologia usada. A partir de um convite inicial à participação através de inscrição de equipas de Escolas do 3º ciclo e Secundário, dos projetos do Programa Escolhas e a titulo experimental de Centros Educativos e Estabelecimento prisional, as equipas com o professor/técnico responsável escolhem um caso entre dez opções(bullying, violência de género, nacionalidade, asilo/refugiados, tráfico de pessoas,racismo/xenofobia,..) que preparam para simulação de julgamento(cronograma em anexo), onde todos os papeis são desempenhados por membros da equipa, exceto o do juiz,que será real,recebendo a equipa na sala de audiências do Tribunal. No processo, as equipas desenvolvem um programa de atividades paralelas (exposições, conferências,) que sensibilizem o seu contexto para estas temáticas. 
Durante 24 meses,envolverá diretamente cerca de 7255 jovens, 549 professores e profissionais da justiça e 366 instituições (Escolas, Tribunais...).

Este projeto é desenvolvido a partir de uma parceria alargada que integra o IPAV, o Centro de Estudos Judiciários, o Direitos Humanos - Centro de Investigação Interdisciplinar da Universidade do Minho, o ACIDI/PE, a Direcção Geral de Reinserção e serviços Prisionais, a Associação Sindical dos Juízes Portugueses, a Escola Superior de Educação Paula Frassinetti, a Forum Estudante, a Abreu Advogados, a APAV e o Público na Escola e, ainda, um Conselho Consultivo constituído por personalidades relevantes da área da justiça.

Tem como financiador o Programa Cidadania Ativa (http://cidadaniaativa.gulbenkian.pt)