domingo, 27 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Viver na morte



ANDREÍNA ABREU
LUISA ANDRADE
TATIANA SANTOS
SANDRA FREITAS

Ano/Turma: 11º 18
Ano lectivo: 2010/11

Era o Paraíso



ERA O PARAÍSO

Mágico lugar aquele
Onde teus olhos vi
Neles encontrei o que sempre quis
Ai! Era o paraíso!

Tua pele, suave doçura
Teu seio ardente
Onde envolvido me encontrei
Ai! Era o paraíso!

Eras luz divina
Eras minha alma
Minha vida a ti entreguei
Ai! Era o paraíso!

Mas a luz desvaneceu
Meu coração se perdeu
E a minha vida?
Em deserto se transformou!

Ai! Onde está o meu paraíso?

DANIELA SILVA
CÂNDIDA
EMMA

Ano Lectivo: 2010/11
Ano/Turma: 11º 18

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

O cérebro e a memória




Drew Berry  faz uma viagem no interior do cérebro do rato.  É um dos vídeos vencedores de 2010 da National Science Foudation. 
Pode ser util para a compreensão do funcionamento do cérebro.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Irreverência




O que é normal e saudável na adolescência a nível do desenvolvimento cognitivo:

- A tendência a discutir (busca de oportunidades para testar e exibir as suas novas capacidades de raciocínio) e costumam tornar-se contenciosos, testar os limites;

- A indecisão (dado tomarem consciência de diversas escolhas possíveis);

- O criticar figuras de autoridade (dão-se conta que os adultos que antes veneravam estão muito aquém dos seus ideais);

- A hipocrisia aparente (não reconhecem a diferença entre expressar um ideal e fazer esforço pessoal para o atingir);

- A auto-consciência (criam um “publico imaginário”, ao suporem que o mundo está tão concentrado sobre eles próprios, quanto eles mesmo);

- A suposição de invulnerabilidade (crença de que são especiais, de que a sua condição é única).

Extraído de: Stress, Depressão e Suicídio na adolescência Maria Antónia Frasquilho e Diogo Guerreiro.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Fogo Infernal



FOGO INFERNAL

Ai! Anjo demoníaco
Essas tuas asas que me envolveram
Porque arderam?

Este fogo que arde e traga
A maldita carne abrasada
Em cinzas transformada

Ai! Sopro de amor
Vindo e levado
Nada é por nós imaginado!

Minha alma foi roubada
Pelo teu majestoso viver
Abalada em teu ser

Deste inferno em que ardi
Não ficou nada mais
Do que o pó em que me perdi!


DIOGO, ELIANA JOÃO; MARISA; SAMUEL - 11º 18
Ano Lectivo: 2010/11





quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Daniela Freitas 11º 18

OH! MEU AMOR


Será amor? Será tentação?
Não sei não.
Só, nesta perdição!
Oh! Meu amor, oh meu amor!

Não te quero, não te amo.
És um engano,
Um engano profano!
Oh! Meu amor, oh! Meu amor!

Não quero o teu amor,
Não me faz falta.
És fogo, fogo que tenta!
Oh! Meu amor, oh! Meu amor!

DANIELA FREITAS 11º18
Ano lectivo: 2010/11

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Dependência da Net




O que é a dependência Net e como avaliar, aqui.
Actividades sobre segurança na Net destinada aos 2º, 3º ciclo e ensino secundário, aqui.
Seguranet  é o site para educadores. 

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Carla

CARO ESTRÔNCIO

    O que me fizeste não tem classificação. Pensava que eras um cavalheiro incapaz de fazer certas coisas, mas vejo que me enganei. Defraudaste as minhas expectativas. Ao fim de tanto tempo pensei que te conhecia, mas hoje olho para tudo o que me rodeia e vejo que estava enganada em relação ao meu conhecimento. Nunca pensei que fosses fazer tal coisa.
    Meu Deus, como me enganei redondamente em relação a ti. O que me fizeste é inadmissível. Vendo bem o caso da situação, nada justifica tal coisa. Se ainda me trocasses por outra mulher; ou por outro homem; sim por outro homem, hoje é normal essas coisas acontecerem; até poderia compreender porque talvez não te fazia feliz ou talvez porque o amor que sentias por mim tivesse afrouxado; mas agora trocares-me pelo Benjamin?! O urso de peluche que a tua mãe te ofereceu quando tinhas 12 anos.
    Isso foi para mim longe das expectativas que tinha em relação a ti! Bem me parecia que algo se passava contigo. Desde há uns dias que andavas muito estranho. Quando falava contigo nem me davas atenção; já nem me olhavas nos olhos e saias sempre a correr quando te ia dar um beijo. Quando isso acontecia, dizias para mim mesma: “Será que tenho um hálito horrível? O que fiz eu de mal a Deus para merecer isto?! A partir desse momento pensei que tivesse outra mulher (ou outro homem), até que um dia descobri…Imagina o que foi que descobri?! Pensando bem no assunto, é melhor não pensares muito porque parece que já estou a ver fumo a sair da tua cabeça. Ahahahah, estou a brincar contigo. Descobri que preferias ter uma relação com o Benjamin do que comigo! Quando acabaste tudo, pensei que ia morrer se não tivesses do meu lado; chorei noites após noites; até que um dia me levantei com a cabeça erguida e segui em frente.
    Escrevo-te esta carta porque ainda tenho algumas questões sobre o que aconteceu e essas questões são: “O que é que o Benjamin tem que eu não tenho?”; “Será pelo simples facto de ele ser fofo?”; “O que te deu na cabeça para teres feito tal coisa?”; Independentemente do motivo de teres feito essa escolha: Espero que estejas feliz na vida. Muito sinceramente, sinto-me outra depois da nossa relação ter acabado. Sou novamente livre! Ah, já agora, tenho um conselho para te dar. Vai a um psiquiatra porque parece que necessitas de um. Se levaste o conselho a mal, então, cumpri o meu objectivo!
    Até nunca mais ver.

CARLA
Ano Lectivo: 2010/2011
Disciplina: Português
Professora: Conceição Martins





sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Portal das Escolas



Portal das Escolas é já hoje uma ferramenta de grande utilidade para todos os estudantes. Para que dele possas tirar o melhor partido, as secções disponíveis são:
Escolas;
Notícias;
Vídeos;
Recursos educativos;
e outras.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Marta Rebolo 10º5

QUANDO O INFERNO É UM LUGAR CHAMADO CASA

   Que fazer quando o nosso pai é a pessoa que mais nos magoa?
Que fazer quando as pessoas que mais amamos são aquelas que nos traem e nos proporcionam sofrimento? Fugir? Correr até não mais poder? Correr a toda a velocidade, sem sentido, direcção ou destino fixo? Ou pôr termo à vida fazendo com que o sangue jorre nas nossas veias como uma nascente juvenil após o degelo das várias camadas de neve? Não. Desistir também não é solução.
    Então digam-me! Digam-me porque eu já varri todos os oceanos e lagos, continentes e montanhas, até nas próprias nuvens procurei resposta às minhas perguntas e não a encontrei!
    Todo o meu corpo grita de dor, de trauma e de angústia. A revolta que emana dos poros da minha pele é imensa e contagia aqueles que me rodeiam. A sede de vingança e de justiça arde na minha garganta como fogo eterno e furioso, posso mesmo dizer incontrolável e que será saciada quando os culpados e lunáticos pagarem pelos seus erros.
    A minha infância foi atribulada, dias de tempestade e alguns de bonança porém sempre marcados pela sua intervenção, ele o diabo do inferno de quatro paredes em que vivo. Olhos vermelhos raiados de sangue, mãos calejadas mas não entorpecidas, postura veraz semelhante à de um búfalo enraivecido envenenado pela loucura prestes a atacar o seu adversário…Mas algo está mal nesta descrição…Eu não sou o adversário…Sou sua filha…Sangue de seu sangue…E desde os meus dois anos de idade que me pergunto, porquê? Que te fiz eu para me tratares desta maneira? Porque sou o objecto de todo o ódio? Disseste-me que era a pessoa mais importante da tua vida, e que o dia em que nasci foi o mais feliz para ti, então porquê? Porque me tratas como se de um monstro ou teu inimigo me tratasse, me deixas desamparada e desesperada, entregue às asas do meu anjo protector que nos momentos em que mais me queres mal, é o único a intervir para a minha vida proteger. Ela merece o meu amor. Tu mereces o meu desprezo e ela a minha dedicação.
    Eu odeio-te e não te quero mais na minha vida.
1 – 2 - 2011

MARTA CRISTINA PIMENTA REBOLO
Ano/Turma: 10º 5, nº 14
Ano Lectivo: 2010/2011
Disciplina: Português
Professora: Conceição Martins

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Tânia Patrícia 10º8

- Meu querido amigo, após muitos anos que não desabafava contigo, a vida fez com que voltasse a fazê-lo, pois és o meu melhor amigo há anos. Sabes, a minha vida deu muitas voltas, agora sou mãe, consegui finalmente ter a minha própria clínica de pediatria, mas nem tudo é felicidade. Perdi os meus pais recentemente, o que me deixou muito em baixo. Isto de ser mãe é muito complicado, temos muitas preocupações com os nossos filhos, esta vida de adulto é muito mais stressada do que eu imaginava quando comecei a desabafar contigo e a contar-te todos os meus desejos e pensamentos, deveria ter eu uns dez anos. Mas apesar de tudo isto não me posso queixar muito, porque tenho ao meu lado o homem da minha vida que me apoia e tenho uma filha maravilhosa, apesar de algumas vezes me aborrecer, mas tudo faz parte da nossa vida. E só tenho a agradecer por ter uma família unida e isso é que é importante.
Agora já sabes tudo o que se passou durante estes anos em que estive ausente, estou pensando em te oferecer a minha filha, onde ele também poderá te confiar os seus segredos.

Adeus, vou sentir saudades tuas…

Domingo 2 de Dezembro de 2040

TÂNIA PATRÍCIA
Ano/Turma: 10º 8, nº 18
Ano Lectivo: 2010/2011
Disciplina: Português
Professora: Conceição Martins