sábado, 29 de abril de 2017

Site: "DESPORTO SEM BULLYING"

O Projeto "Desporto Sem Bullying", promovido pela Faculdade de Motricidade Humana, realizou no dia 19 de Abril a cerimónia de Apresentação Pública do Projecto, no Salão Nobre da FMH, em Lisboa. A APAV, como entidade parceira do Projeto, esteve presente na sessão de apresentação, onde estiveram também presentes várias pessoas ligadas ao desporto e representantes de entidades desportivas e educativas, nomeadamente o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto e o Presidente do Instituto Português do Desporto e Juventude, e representantes de outras entidades parceiras da sociedade civil.
Na cerimónia foi apresentado um novo site: www.desportosembullying.pt. Este site é um novo espaço que integra informações e dicas úteis sobre o que fazer para prevenir e intervir em casos de bullying no contexto desportivo. O site tem como principais destinatários os atletas, familiares, treinadores e outros adultos pertencentes a diferentes organizações, que directa, ou indirectamente se encontrem implicados com a prática desportiva, tais como, clubes, federações desportivas, câmaras municipais, escolas, associações, entre outras.
Fonte: APAV

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Conjunto de ferramentas para prevenir e combater o cyberbullying


Especialistas de Portugal, Chipre, Espanha, Itália, Noruega, Reino Unido, República Checa e Turquia tentam encontrar novas formas de combater uso da Internet para intimidar e hostilizar uma pessoa, difamando, insultando ou atacando covardemente.
Investigadores de oito países desenvolveram, no âmbito de um projeto europeu, um conjunto de ferramentas para prevenir e combater o cyberbullying (bullying que ocorre no mundo digital), anunciou esta segunda-feira a Universidade de Coimbra (UC).
As novas ferramentas -- guias para alunos, pais e escolas e um videojogo, já disponíveis online -- resultam do projeto europeu de investigação 'Beat cyberbullying: Embrace safer cyberspace', que envolve especialistas de Chipre, Espanha, Itália, Noruega, Portugal, Reino Unido, República Checa e Turquia, refere uma nota da UC, enviada hoje à agência Lusa.
O cyberbullying corresponde ao uso da Internet para intimidar e hostilizar uma pessoa, difamando, insultando ou atacando covardemente.
Financiado pelo programa 'Erasmus+', da União Europeia, o projeto conta com a participação de Armanda Matos e de Ana Maria Seixas, ambas docentes da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da UC (FPCEUC).
Numa primeira fase do projeto, realizado nos últimos dois anos, a equipa de investigadores fez um estudo junto de crianças e adolescentes, com idades compreendidas entre os nove e os 14 anos.
"Compreender a perceção que este público-alvo tem sobre o fenómeno de 'cyberbullying' e quais as necessidades sentidas para prevenir e lidar com a problemática" é o objetivo do projeto, explica Armanda Matos, citada pela UC.
O estudo demonstrou que "há muito trabalho a fazer para prevenir o fenómeno, nomeadamente ao nível da sensibilização das crianças e dos adolescentes para os potenciais riscos da comunicação mediada pelas tecnologias", acrescenta a especialista da UC em educação para os media.
"Os participantes no estudo revelam, por exemplo, que partilham informação privada nos seus perfis de redes sociais, e afirmam que têm necessidade de receber formação sobre as várias vertentes do problema, ou seja, receber formação, quer em termos de prevenção do cyberbullying, quer sobre o uso das tecnologias", sublinha Armanda Matos.
Por outro lado, os alunos afirmam "desconhecer se as suas escolas têm ou não medidas para prevenir e lidar com esta nova forma de violência".
Por isso, adverte Armanda Matos, "é necessário um trabalho de consciencialização contínuo porque o cyberbullying tem uma audiência muito mais ampla que o bullying tradicional, pode ocorrer 24 horas, sete dias da semana e permite o anonimato (ou a ilusão de anonimato) a quem o pratica".
Os recursos produzidos pelos investigadores dos oito países parceiros do projeto "fornecem conhecimentos básicos, conselhos práticos e orientações para ajudar alunos, pais e escolas a evitar os resultados indesejados deste fenómeno que, em Portugal, apresenta uma taxa de prevalência de 7,6% de vítimas", de acordo com um estudo anterior, realizado também pela FPCEUC, sob coordenação de João Amado.
"Nestes recursos são facultadas abordagens e estratégias para motivar e envolver os diferentes públicos no uso mais seguro da Internet e na luta contra o cyberbullying", sintetiza a docente da FPCEUC.
Os guias elaborados no âmbito do projeto estão disponíveis, em versão inglesa, no site BeCyberSafe, criado para o efeito, refere a UC, indicando que estes instrumentos podem ser obtidos gratuitamente em http://www.becybersafe.org/pubblications/
O videojogo, destinado a um público mais jovem, que pode ser instalado a partir de http://www.becybersafe.org/becybersafe-game/ está disponível em várias línguas, incluindo português.

Fonte: Diário de Notícias 

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Associação Nacional para o Estudo e Intervenção na Área da Sobredotação


LIVRO: Saúde mental das pessoas em situação de rua




Saúde mental das pessoas em situação de rua : conceitos e práticas para profissionais da assistência social / Carmen Lúcia Albuquerque de Santana, Anderson da Silva Rosa, organizadores. -- São Paulo : Epidaurus Medicina e Arte, 2016.

Este livro tem como principal objetivo contribuir para a melhoria do atendimento às pessoas em situação de rua. Ele faz parte do projeto “Capacitação dos Profissionais da Rede de Assistência Social e da Saúde para realizarem intervenções psicossociais na área da saúde mental às pessoas em situação de rua”, cuja realização foi fomentada pelo Edital UNESCO 0036/2015. Iniciativa pioneira, constituída pela parceria entre Secretaria Municipal da Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) de São Paulo, a UNESCO, a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e a Organização de Auxílio Fraterno (OAF) que permitiu integração e fortalecimento da rede intersetorial por meio da promoção de espaços conjuntos de educação permanente na área de Saúde Mental para trabalhadores da SMADS.

sexta-feira, 21 de abril de 2017

TRAUMA, RESILIÊNCIA E BEM-ESTAR - Recursos para as escolas



Promoting trauma-informed school systems that provide prevention and early intervention strategies to create supportive and nurturing school environments.
The Treatment and Services Adaptation Center website is supported by a team of clinicians, researchers, and educators who are respected authorities in the areas of school trauma and crisis response.

Classificação Internacional da Funcionalidade Incapacidade e Saúde


Versão para Crianças e Jovens
Retirado de http://www.dge.mec.pt/publicacoes-da-dseeas

quinta-feira, 20 de abril de 2017

”O Pisca faz Faísca”

No âmbito do projeto SeguraNet, pretende-se alcançar o público em idade pré-escolar, abordando temáticas prementes para esta faixa etária no que respeita à cidadania digital. Deste modo, sugere-se a visita guiada ao sítio web ”O Pisca faz Faísca” ( http://pisca.seguranet.pt/) um espaço interativo de exploração da coleção de histórias em formato digital e de diversas outras atividades (adivinhas, sopa de letras, correspondências, pinturas, entre outras).

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Manuais da Audição da Criança


Manuais produzidos para responder às necessidades criadas pelas alterações legislativas introduzidas em 2015 no Regime Geral Tutelar Cível: o Manual da Audição da Criança e o Manual de Audição Técnica Especializada. Em 2015, a lei reforçou a necessidade de ouvir as crianças neste tipo de processos em tribunal.

REGIME GERAL TUTELAR CÍVEL 

- O Manual da Audição da Criança - - Direito a ser ouvida – Assessoria Técnica aos Tribunais - Área Tutelar Cível; Versão 01 – janeiro 2017.


- Manual da Audição técnica Especializada – Assessoria Técnica aos Tribunais – Área Tutelar Cível, Versão 01 - dezembro 2016 
Aceder: 

Autor: Departamento de Desenvolvimento Social do Instituto de Segurança Social
Retirados de http://www.seg-social.pt/publicacoesd

Despacho Normativo n.º 1-B/2017

Despacho Normativo n.º 1-B/2017 - Diário da República n.º 75/2017, 1º Suplemento, Série II de 2017-04-17 
Educação - Gabinetes da Secretária de Estado Adjunta e da Educação e do Secretário de Estado da Educação 
Despacho Normativo que fixa os procedimentos da matrícula e respetiva renovação
ACEDER AQUI

terça-feira, 18 de abril de 2017

Lei n.º 11/2017

Lei n.º 11/2017 - Diário da República n.º 75/2017, Série I de 2017-04-17. Assembleia da República 
Estabelece a obrigatoriedade de existência de opção vegetariana nas ementas das cantinas e refeitórios públicos.
Aceder AQUI

domingo, 16 de abril de 2017

Nova plataforma de empregos para pessoas mais velhas



MaturiJobs - Nova  plataforma de empregos para pessoas mais velhas
O Brasil vive um momento difícil para certa faixa da população. Com a crise, muitas pessoas na faixa dos 50 e 60 anos perderam seus empregos e agora se encontram em uma situação muito delicada: não conseguem se recolocar no mercado e ainda não podem se aposentar.
Foi pensando nisso que o empreendedor Mórris Litvak teve a ideia de lançar uma plataforma de empregos para pessoas mais velhas, conectando empresas interessadas neste tipo de mão de obra a quem não quer – e nem pode – parar de trabalhar.
Retirado de: http://revistapegn.globo.com

terça-feira, 11 de abril de 2017

INSCRIÇÕES ABERTAS: Voluntariado Juvenil 2017

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA
Programa Voluntariado Juvenil
Inscrições abertas para as entidades promotoras!
Informações e formulários: http://www02.madeira-edu.pt/drjd

OMS revê lista de doenças


O manual de doenças mentais elaborado pela Associação Americana de Psiquiatria já não inclui o transtorno de identidade de género. Mantém apenas a disforia de género — a angústia sentida por quem se identifica como homem e tem corpo de mulher ou vice-versa. A Organização Mundial da Saúde está a rever o compêndio de doenças e já anunciou que as categorias de diagnóstico relativas a pessoas “trans” seriam retiradas da área da saúde mental e passariam para a saúde sexual. “Só a assunção de que existe patologia nas pessoas cuja identidade de género não se identifica com o sexo atribuído à nascença permitirá que, se entenderem, possam ser submetidas a tratamentos para reatribuição do sexo”, lê-se no parecer. “A não assunção de patologia orgânica colidiria com a ética médica, que, por exemplo, não consente na amputação ou forte modificação de órgãos sãos.”
Jornal Publico, Abril 2017

Lei n.º 7/2011, de 15 de Março Cria o procedimento de mudança de sexo e de nome próprio no registo civil e procede à décima sétima alteração ao Código do Registo Civil (AQUI)

segunda-feira, 10 de abril de 2017

10 MITOS acerca do ÁLCOOL nos jovens


1. Myth: Teen drinking is OK as long as they’re not driving.
2. Myth: All teens have an equal chance of becoming addicted to alcohol.
3.. Myth: Prom is a hotbed for teen drinking and debauchery.
4. Myth: Talk to your kids about drinking before they get their license.
5. Myth: Statistics will scare teens into not driving drunk.
6.Myth: A drunk driver is a drunk driver is a drunk driver.
7. Myth: Alcohol isn’t as bad for teens as other drugs.
8. Myth: It’s easy to sober up after long periods of drinking.
9. Myth: Teens are going to drive drunk; it’s inevitable.
10. Myth: Drinking is a rite of passage; parents can’t do anything to prevent it.

Retirado de:
http://www.phoenixhouse.org/news-and-views/our-perspectives/top-10-myths-about-teen-drinking/


sábado, 8 de abril de 2017

Alunos dos 16 aos 19 anos convidados a viajar grátis pela Europa

A iniciativa Move2Learn, Learn2Move (https://ec.europa.eu/) está a ser lançada por ocasião do 30.º aniversário do programa Erasmus+. Ao abrigo da iniciativa Move2Learn, Learn2Move, alguns projetos europeus eTwinning terão a oportunidade de participar num concurso e ganhar viagens para outros países integrantes do Programa Erasmus+. O objetivo da iniciativa é dar a conhecer aos mais jovens o que significa viver na Europa e o impacto positivo que a União Europeia tem tido na vida dos cidadãos europeus e dos seus vizinhos mais próximos. Para além de conhecer outras culturas, os participantes também tomarão consciência da pegada ecológica da sua viagem, uma vez que terão de respeitar um limite máximo de emissões de CO2 durante essa viagem, o que significa terem de escolher os seus meios de transporte de forma cuidadosa. Os participantes poderão escolher entre viajar em grupo numa viagem de turma ou individualmente.

O período de candidatura decorrerá entre os dias 20 de março e 30 de junho de 2017. Conheça os critérios de seleção e candidate o seu projeto. Dar-se-á primazia aos projetos que abordem a dimensão da inclusão.

sexta-feira, 7 de abril de 2017

RESILAND - fortalecendo a resiliência de crianças e jovens contra a exploração e o tráfico




Título: - fortalecendo a resiliência de crianças e jovens contra a exploração e o tráfico (orientações para profissionais que trabalham com e para crianças imigrantes)

Autor: Daja Wenke, Júlia Pàmias e Pippo Costella

Edição: Resiland
Ano: 2015
O projeto Resiland centra-se nas histórias de crianças migrantes. As histórias são consideradas um elo de ligação entre a criança, enquanto “caso”, e as/os proissionais: assistentes sociais, agentes dos serviços de imigração e outros/as, enquanto “gestoras e gestores de caso”. Resiland tem como objeivo criar espaços de escuta aiva com vista ao reforço da qualidade das relações humanas na prestação de serviços. Duas questões centrais orientaram a conceção do projeto: 
i) Ouvir as histórias das crianças migrantes como modo de ajudar a evitar que sejam tratadas meramente como “casos” ou “objetos de proteção”;
ii) Dar a devida atenção às histórias das crianças, como estratégia para permiir uma interação mais humana, aumentar a qualidade da prestação de serviços dirigida a crianças e jovens em movimento.
Estas questões são altamente relevantes no contexto de acolhimento, cuidado e proteção das crianças migrantes em locais de trânsito e de desino, e no contexto de um eventual retorno ao país de origem.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Aprovada a proposta de lei que estabelece o regime da identidade de género


3. Foi aprovada a proposta de lei que estabelece o regime da identidade de género, nomeadamente no que respeita à previsão do reconhecimento civil das pessoas intersexo, assim como o quadro legislativo relativo às pessoas transexuais e transgénero, suprimindo as discriminações subsistentes na lei, como forma de proteção e promoção dos direitos fundamentais destas pessoas.
A presente lei pretende tornar Portugal num país mais respeitador dos direitos humanos das pessoas transexuais e transgénero, assim como das pessoas intersexuais, estabelecendo procedimentos que garantam uma maior qualidade de vida e uma maior inclusão de um grupo social que é frequentemente alvo de discriminação, estigma e violência.
6 de abril de 2017

Notícia do Jornal Publico de hoje:
"O Governo aprovou nesta quinta-feira a proposta de lei que estabelece o regime da identidade de género, “nomeadamente no que respeita à previsão do reconhecimento civil das pessoas intersexo, assim como o quadro legislativo relativo às pessoas transexuais e transgénero, suprimindo as discriminações subsistentes na lei”, lê-se no comunicado do Conselho de Ministros.
PUB
Objectivo: “Tornar Portugal num país mais respeitador dos direitos humanos das pessoas transexuais e transgénero, assim como das pessoas intersexuais, estabelecendo procedimentos que garantam uma maior qualidade de vida e uma maior inclusão de um grupo social que é frequentemente alvo de discriminação, estigma e violência”, prossegue o comunicado.
A chamada lei de identidade de género foi há meses anunciada pela secretária de Estado da Cidadania e da Igualdade de Género, Catarina Marcelino. Tal como noticiou o PÚBLICO na semana passada, a proposta trata de esclarecer conceitos como sexo (características biológicas e fisiológicas que diferenciam homens de mulheres), género (entendimento social sobre o que é masculino e o que é feminino), transgénero (pessoa com uma identidade de género que não combina com o sexo com que nasceu), intersexual (pessoa com atributos sexuais que incorporam ambos ou parte dos dois géneros). Uma das mudanças anunciadas foi a diminuição de 18 para 16 anos como idade a partir da qual será possível mudar de género nos documentos de identificação, desde que com autorização dos pais. Bem como a interdição de cirurgia “correctivas” e/ou os tratamentos em crianças intersexuais. Qualquer alteração do corpo deverá ser feita apenas depois de a criança manifestar a sua identidade de género e mediante o consentimento dos seus representantes legais.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Manual para Pessoas com Deficiência Motora




Manual para Pessoas com Deficiência Motora, elaborado pela Associação Salvador.
Objetivo: Divulgar diversa informação de sinalização e um conjunto alargado de respostas existentes para as pessoas com deficiência física e mobilidade reduzida, seus familiares e cuidadores, assim como para todos os profissionais e demais interessados.

LIVRO VERDE sobre as Relações Laborais



Retirado de 


© Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social
2016


terça-feira, 4 de abril de 2017

Competências Digitais e.2030 - Portugal INCoDe.2030


GOVERNO APRESENTA INICIATIVA PARA MELHORAR COMPETÊNCIAS DIGITAIS DE PORTUGAL

O Governo apresenta uma iniciativa para melhorar as competências em tecnologias de informação e comunicação, que define medidas para a inclusão, educação, qualificação profissional, especialização e investigação científica até 2030.

Mediação de conflitos



No webinar Mediação de Conflitos iremos abordar a temática dos conflitos e estratégias de resolução de conflitos em contexto escolar. Serão abordados os diferentes tipos de conflitos, relacionados com comportamento de desvio face às normas, violência entre pares e violência com os professores. Serão reflectidas as causas, consequências e factores ligados ao risco e ligados à protecção dos conflitos. A temática do bullying será aprofundada. Ao nível das estratégias de gestão de conflitos, serão apresentadas as estratégias preventivas ao nível da prevenção de competências pessoais e sociais e estratégias de resolução de conflitos como a negociação e a mediação.
Com  Drª Tânia Gaspar, Diretora do Instituto de Psicologia e Ciências da Educação, na Universidade Lusíada de Lisboa.

Consulta pública para revisão das competências-chave para a aprendizagem ao longo da vida



A revisão do quadro das competências-chave para a aprendizagem ao longo da vida encontra-se em consulta pública até 19 de maio. 
Esta consulta centra-se na Recomendação de 2006 mas faz parte de uma revisão mais ampla que teve início em 2016 e terminará no final de 2017 com a publicação do quadro de competências essenciais já revisto.
Recorda-se que o Quadro de Competências-Chave em vigor estabelece oito competências (Comunicação na língua materna; Comunicação em línguas estrangeiras; Competência matemática e competências básicas em ciência e tecnologia; Competência digital; Aprender a aprender; Competências sociais e cívicas; Sentido de iniciativa e empreendedorismo; e Consciência e expressão cultural).
A presente revisão tem por objetivo atualizar o Quadro para que este reflita os desenvolvimentos políticos, sociais, económicos, ecológicos e tecnológicos desde 2006. Por conseguinte, qualquer cidadão poderá propor alterações que melhor respondam à evolução recente em domínios como o multilinguismo, a diversidade cultural e as diversas formas de comunicação, migração, cidadania e sustentabilidade.

Resolução do Conselho de Ministros n.º 48-D/2017

Resolução do Conselho de Ministros n.º 48-D/2017 - Diário da República n.º 65/2017, 1º Suplemento, Série I de 2017-03-31 
Presidência do Conselho de Ministros 
Aprova as linhas orientadoras para o Plano Nacional de Leitura 2027
ACEDER AQUI

segunda-feira, 3 de abril de 2017

D&F – Revista para gestores e formadores, Nº 14



A Revista
“(…) o desenvolvimento da aprendizagem ao longo da vida não constitui apenas uma preocupação nacional. A nível eu­ropeu esta é uma questão que continua na agenda do dia e os diferentes Estados-membros têm sido recorrentemente incentivados a adotar as medidas necessárias para que, no quadro de um investimento integrado e concertado, seja conferida à educação e formação de adultos a importância e a centralidade que merece e de que necessita.” 
A Separata «Qualificação e Orientação: Novos Instrumen­tos» está estruturada em torno de dois grandes objetivos: como desenvolver estratégias proativas de recolocação no mercado de trabalho (MT) e como estruturar e gerir percur­sos de qualificação, processos de aprendizagem ao longo da vida e estratégias de carreira de forma simples, flexível e transparente.”

Plataforma de Português Online




A aprendizagem da Língua Portuguesa é um instrumento importante para um projecto de vida em Portugal, quer seja para estudar, viver ou trabalhar. Agora poderá fazê-lo através desta plataforma de forma autónoma, gratuita e ao seu ritmo.