sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Site EU SEI



Um portal de jogos e actividades (38 tipos diferentes) para todas as áreas/disciplinas do 1º e do 2º ciclos de escolaridade e para o Jardim de Infância, do Centro de Competências da ESE Santarém-

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Manuais e Guias - IGUALDADE de GÉNERO


Um dos trabalhos desenvolvidos pelo Projeto UBIgual - Universidade da Beira Interior -  foi a elaboração de manuais e guias de promoção da igualdade de género na UBI. Reveja agora esses materiais

RESOLUÇÕES

Resolução da Assembleia da República n.º 242/2016 - Diário da República n.º 247/2016
Assembleia da República
Recomenda ao Governo que adote medidas para a promoção do sucesso escolar - aqui

Assembleia da República
Recomenda ao Governo a promoção do sucesso escolar através de um estratégico 
adequado dimensionamento de turmas - aqui


Assembleia da República
Recomenda ao Governo a progressiva redução do número de alunos por turma - aqui



quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Associação de Mães e Pais pela Liberdade de Orientação Sexual (AMPLOS)



A Associação de Mães e Pais pela Liberdade de Orientação Sexual (AMPLOS) propôs ao Ministério da Educação que as crianças transgénero possam usar, em ambiente escolar, um nome que esteja de acordo com o género com o qual se sentem identificadas, diz a sua presidente, Margarida Faria -  Proposta de Adopção de Medidas nas Escolas Face à Diversidade de Expressão e Identidade de Género na Infância. (Fonte: Público de hoje)

Programa SOMOS




CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA e PARCEIROS
O SOMOS - Programa Municipal de Educação para a Cidadania Democrática e Direitos Humanos tem como objetivo geral o desenvolvimento de uma cultura universal de Direitos Humanos e de Cidadania Democrática em Lisboa, através da formação e sensibilização de munícipes e organizações da cidade.

Conheçam a iniciativa e aproveitem a oportunidade de solicitar uma ação gratuita de sensibilização para os Direitos Humanos

Campanha Regional Contra a Violência no Namoro

REGIÃO AUTÓNOMA da MADEIRA
http://violenciadomestica.gov-madeira.pt/perguntas-frequentes.html

Em caso de emergência, contacte: 
· 112 (Polícia) - Para Proteção;
· 144 (Linha de Emergência Social) - Para Apoio.

A chamada é gratuita e estes serviços estão disponíveis 24 horas por dia. 
Pedir apoio junto dos seguintes organismos:
· Equipa de Apoio à Vítima de Violência Doméstica - 291 205 135· Associação Presença Feminina - 291 759 777· Serviços de Acão Social da área de residência
· Posto de Esquadra da área de Residência
· Tribunal
· Serviços de Ministério Público
· Comissão de Proteção de Crianças e Jovens da área de residência
· Centro de Saúde da área de residência
     · Hospital

Programa Nacional de Saúde Escolar 2015


Programa nacional de saúde escolar 2015 from Licínia Simões

Em PDF: AQUI

Mais documentação: AQUI

RELATÓRIO TÉCNICO do PROGRAMA - ano lectivo 2014/15: https://www.dgs.pt/
Breve resumo: "Mais de dois mil casos de maus tratos e suspeitas de maus tratos a crianças e jovens foram denunciados pelos estabelecimentos de ensino no ano lectivo de 2014/15, no âmbito do Programa Nacional de Saúde Escolar, revela um relatório divulgado nesta segunda-feira pela Direcção-Geral da Saúde (DGS)." Fonte: Publico de hoje

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Como as universidades gerem a carreira dos seus alunos

Três universidades portuguesas estão este ano entre as 200 melhores do mundo do ranking britânico QS Graduate Employability Rankings 2017 - Expresso Emprego


O ranking QS Graduate Employability 2017 é liderado por universidades norte-americanas, que ocupam cinco das dez primeiras posições da tabela no que diz respeito à empregabilidade dos seus alunos, mas Portugal não ficou mal no retrato. Há três universidades nacionais entre as 200 melhores do mundo na empregabilidade – Universidade do Porto, Universidade Nova de Lisboa e Universidade de Coimbra – e a Universidade de Lisboa surge também colocada entre as 300 academias mundiais com melhores práticas no campo da promoção do emprego entre os seus licenciados. São cinco os parâmetros que servem de base à definição do ranking final dos líderes de empregabilidade do QS Graduate, mas nem todos têm o mesmo peso. A reputação reconhecida pelos recrutadores, por exemplo, vale 30% da avaliação total de cada instituição. Variáveis como as parcerias com empresas, a remuneração dos diplomados da instituição, a presença de empresas no campus e a taxa de empregabilidade têm pesos distintos: 25%, 20%, 15% e 10%, respetivamente. Mas em Portugal, no que é que isto se traduz efetivamente? Qual é a estratégia de empregabilidade que as escolas seguem para a integração dos seus diplomados? O Expresso falou com os representantes de algumas das instituições distinguidas no último QS Graduate Employability sobre o que conta na missão de assegurar emprego aos seus alunos.
As parcerias estabelecidas com empregadores são um dos pontos fortes da Universidade do Porto (U.Porto). A análise desta variável foi pontuada com 71,7 pontos no ranking. Já no campo da taxa de empregabilidade, medida a partir da proporção de alumni que é empregada até um ano após a conclusão dos estudos, a instituição obteve 54,5%. Para o reitor da U.Porto, Sebastião Feyo de Azevedo, os resultados obtidos no ranking da consultora britânica Quacquarelli Symonds (QS), são o reflexo da estratégia da universidade que ao longo dos últimos anos tem desenvolvido diversas iniciativas que visam a transição dos seus diplomados para o mercado de trabalho. “Os dados mais recentes mostram que a taxa de empregabilidade dos diplomados da Universidade do Porto ronda os 85% globalmente”, explica o reitor assegurando, contudo, que “são vários os cursos entre as 52 licenciaturas e mestrados integrados que a U.Porto oferece que possuem níveis de empregabilidade superiores, próximos dos 100%”. Sebastião Feyo de Azevedo cita como exemplo as duas licenciaturas em Medicina da universidade que apresentam uma taxa de desemprego de zero por cento. O reitor da instituição relembra que “Portugal surge como um dos países do mundo com maior grau de desadequação entre as necessidades das empresas vs os perfis disponíveis no mercado”.
Nesse sentido, a instituição tem apostado numa estratégia de empregabilidade que passa pela promoção da ligação e criação de sinergias entre a universidade e o mundo empresarial. “Acreditamos que o contacto dos estudantes com as empresas – que pode passar pela formação em contexto empresarial, estágios profissionais – tem impactos significativos na integração dos diplomados no mercado de trabalho”, explica. Complementar as competências teórico-práticas desenvolvidas na U.Porto com o contexto da realidade empresarial é uma das apostas fortes da instituição. Mas há outras, onde os gabinetes de apoio à empregabilidade da universidade têm um papel fundamental. Segundo o reitor, “cada estudante diplomado pode receber apoio e aconselhamento personalizado, durante as diferentes fases do seu percurso académico profissional, para além de participar nas diferentes ações que visam o desenvolvimento de competências valorizadas no mercado de trabalho, como também na identificação de oportunidades a nível nacional e internacional”.A FINDE.U – Feira Internacional de Emprego Universitário, é uma das principais iniciativas dinamizadas pela U.Porto. A segunda edição da iniciativa, que decorreu no mês passado, somou mais de cinco mil participantes. Em paralelo, a universidade realiza também uma feira virtual de emprego, que recorre a ferramentas como o chat e o vídeo para criar canais de contacto entre candidatos e empregadores. Workshops de preparação para a abordagem ao mercado de trabalho, focando temas como as soft skills, saídas profissionais, técnicas de procura de emprego ou empreendedorismo, e iniciativas de aproximação aos recrutadores – como os pequenos almoços com empresas -, orientação sobre a procura de emprego, otimização de CVs e cartas de apresentação e apoio nas candidaturas e preparação para entrevistas de seleção, fazem parte do leque de ferramentas que a U.Porto coloca aos dispor dos seus alunos para os apoiar na missão de conquistar um emprego. A Universidade de Lisboa (ULisboa) surge depois da 200ª posição do ranking, mas consegue um honroso 82º lugar no que respeita à remuneração dos seus diplomados, a melhor classificação entre as instituições nacionais neste parâmetro. Eduardo Pereira, vice-reitor da Universidade de Lisboa, explica que a taxa de empregabilidade global da instituição ronda os 94%. “Cursos como Medicina, Saúde, Informática, Matemática e as Engenharias, apresentam as maiores taxas de empregabilidade”, esclarece o vice-reitor.Na Universidade de Lisboa, a principal opção é a de “ministrar uma formação de qualidade em todas as suas áreas de atuação e valorizar a sua capacidade de adaptação e intervenção”, realça Eduardo Pereira. O vice-reitor acrescenta que “tendo como base este princípio orientador, os graduados da ULisboa terão as competências necessárias para escolherem as carreiras profissionais que melhor se adaptem às suas vocações e também que melhor respondam às necessidades dos empregadores”. Reconhece, contudo, que as diferentes estruturas de apoio à ligação entre a universidade e as empresas, existentes nas várias escolas da ULisboa, têm um papel determinante, seja pelo contacto que promovem entre candidatos e empresas, seja pelo apoio à preparação dos primeiros – com ações de formação centradas no treino de competências ao nível das soft skills – para abordar o mercado de trabalho e os processos de seleção e recrutamento. O QS Graduate Employability 2017 é liderado pela Universidade de Stanford (EUA), seguida pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT) e pela universidade chinesa Tsinghua University. Há cinco instituições americanas entre as dez primeiras posições do ranking, mas há também três estabelecimentos de ensino superior europeus nas posições cimeiras da lista: Universidade de Cambridge, École Polytechnique e Universidade de Oxford.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

LIVRO “Educação em quatro dimensões: As competências que os alunos devem ter para atingir o sucesso”


Charles Fadel, presidente do Center for Curriculum Redesign e professor convidado da Universidade de Harvard, é o autor do livro “Educação em quatro dimensões: As competências que os alunos devem ter para atingir o sucesso”, que foi traduzido para português e publicado no Brasil, em novembro de 2016, em parceria com o Instituto Ayrton Sena.
ACEDER na íntegra: 

Bolsas para licenciados Erasmus Mundus EUROINKA

Estão abertas as candidaturas para a bolsa Erasmus Mundus EUROINKA na América do Sul. A bolsa é dirigida a estudantes de licenciatura da América Latina ou Europa que desejem solicitar um intercâmbio para os seguintes destinos: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, México, Paraguai e Peru. Há muitas áreas de estudo elegíveis, entre elas, Relações Internacionais, Ciência Política, Sociologia, Formação de Professores e Jornalismo, Antropologia e Publicidade. O prazo de candidatura termina no dia 28 de fevereiro.
As mobilidades terão a duração de 6 ou 10 meses. O financiamento cobre as viagens e seguro. A bolsa é de 1.000 Euros por mês para mobilidades na licenciatura.Há 13 Universidades parceiras na América Latina e 7 na Europa. A Universidade organizadora é a Manchester Metropolitan University.
EuroInkaNet é um Projeto de Cooperação Internacional que compreende um grupo de 20 excelentes Instituições de Educação Superior na Europa e na América Latina. O projeto prevê um total de 182 intercâmbios acadêmicos que incluem participantes de graduação, mestrado, doutorado, pós-doutorado e pessoal acadêmico e administrativo para os auxílios financiados pela Comissão Europeia. As bolsas contemplam as despesas relativas ao traslado, seguro internacional, dispensa de taxas e matrículas e um auxílio de manutenção mensal conforme o nível de formação.
Para mais informações consultar o edital em anexo e o website do http://www.euroinka.eu/

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Manual para o combate contra o discurso de ódio online


Manual “Bookmarks” do Conselho da Europa "REFERÊNCIAS", um livro destinado a Combater o Discurso de Ódio online através da educação para os Direitos Humanos.
ACEDE AQUI AO MANUAL REFERÊNCIAS " Manual para o combate contra o discurso de ódio online através da educação para os Direitos humanos.
Este manual insere-se numa campanha criada pelo Conselho da Europa contra o discurso de ódio, cuja coordenação da implementação em Portugal compete ao IPDJ. O objectivo consiste em educar e sensibilizar os utilizadores da internet para os riscos e consequências associados ao discurso de ódio, demonstrando que a liberdade de expressão, um direito fundamental e inalienável, comporta deveres e responsabilidades.

O evento conta com as intervenções de Isabel Mota, administradora da Fundação Gulbenkian, de Margarida Saco, do IPDJ, coordenadora em Portugal da campanha contra o discurso de ódio, de Matia Losego, da Associação Dínamo, coordenador da edição portuguesa, e de Paulo Fontes, Adjunto do Secretário de Estado da Juventude e do Desporto.

ACEDA também ao MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA AO TROLL (AQUI)
 
Página institucional do Movimento Contra o Discurso de Ódio na qual encontra estes e outros manuais: 
http://www.odionao.com.pt


Jogo de tabuleiro “À descoberta da sexualidade”


A Associação para o Planeamento da Família (APF) lançou este mês um novo material pedagógico para pensar de forma lúdica a sexualidade. Trata-se de um jogo de tabuleiro com propostas de reflexão sobre o corpo, a identidade e a igualdade de género, a orientação sexual, a violência no namoro e a saúde reprodutiva. Intitulado “À descoberta da sexualidade”, o jogo foi elaborado numa parceria entre a Ideias com História e a APF. (Fonte: http://spsc.pt/ )

Afinal, porque avaliamos?



webinar da DGE A avaliação para o ensino e para a aprendizagem 

Com Anabela Costa NevesAntonieta Lima Ferreira

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Unidades de Apoio ao Alto Rendimento na Escola (UAARE)

Diz respeito à prática desportiva de alunos/atletas do ensino secundário enquadrados no regime de alto rendimento ou seleções nacionais.
O site das UAARE: http://www.dge.mec.pt/uaare

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

I-LINC - Nova plataforma de competências digitais


Quer trabalhar por conta própria? Vá a I-LINC, (http://www.i-linc.eu/) um sítio sobre competências digitais onde pode obter dicas práticas e entrar em contacto com uma comunidade pronta a ajudá-lo a dar os primeiros passos no mundo do trabalho por conta própria. Ou deixe-se inspirar pela EURES Finlândia, dedicado ao empreendedorismo, e pela rede nacional crescente de jovens empresários.
«A I-LINC procura aumentar a empregabilidade e o espírito empresarial dos jovens», afirma Laurentiu Bunescu, CEO da Telecentre Europe. Bunescu acredita que esta nova plataforma europeia de competências digitais oferece soluções promissoras para a elevada taxa de desemprego de jovens da UE, que é hoje, em média, de 18,8 % (Eurostat, julho de 2016).
A Telecentre Europe apoia vários projetos internacionais para ajudar as pessoas a encontrar emprego tornando-as mais perspicazes a nível digital. Trata-se de um dos quatro parceiros do projeto I-LINC, cuja nova plataforma foi lançada em setembro.

Nova plataforma de competências digitais
O que é exatamente a I-LINC? «É um lugar onde organizações e indivíduos podem colaborar e garantir que os jovens adquirem as competências digitais de que precisam para encontrar emprego e começar a trabalhar por conta própria», observa Laurentiu. Justifica a importância de adquirir estas competências com um inquérito de 2014, que demonstrou que 63 % dos jovens sentem que não estão preparados para a economia digital.
Na secção de Oportunidades de Aprendizagem da I-LINC pode inscrever-se em cursos sobre competências digitais e de empreendedorismo. A plataforma também tem uma base de dados de boas práticas com inúmeros exemplos de empreendedorismo jovem. Estas incluem o programa de intercâmbio transfronteiriço Erasmus para Jovens Empreendedores, o projeto EJE para empresas lideradas por estudantes e o programa educativo neerlandês Be Your Own Boss («Sê o teu próprio chefe»).
«A I-LINC uniu forças, recentemente, com a Drop’pin@EURES, uma vez que ambas as plataformas têm muito em comum, nomeadamente uma comunidade ativa em linha», acrescenta Laurentiu. Um dos objetivos da Drop’pin é ajudar os jovens a encontrar, partilhar e debater oportunidades para melhorar a sua empregabilidade, por exemplo com programas de aprendizagem, formação ou e-learning.
Fonte: Portal EURES


CONSULTA PÚBLICA: Referencial Técnico Para os Psicólogos Escolares

A Direção-Geral da Educação, dando seguimento ao Despacho superiormente exarado pelo Sr. Secretário de Estado da Educação, coloca em consulta pública o Referencial Técnico para os Psicólogos Escolares. -
 (/referencial-tecnico-para-os-psicologos-escolares-consulta-publica)

Este Referencial assume-se como o documento de enquadramento técnico normativo dos psicólogos em contexto escolar. Tem como objetivo contribuir para a consolidação da prática dos psicólogos escolares, definindo de forma mais clara os perfis profissionais, os procedimentos e os instrumentos a privilegiar, focando a intervenção destes técnicos nos domínios que melhor respondem às necessidades atuais do sistema educativo, com base em modelos de intervenção testados e validados cientificamente.
Num primeiro momento, aborda-se o enquadramento que habilita e baliza a intervenção dos psicólogos escolares, bem como os pressupostos e as finalidades que estão a montante e a jusante das práticas desenvolvidas, por estes técnicos. Seguidamente, partindo dos domínios de intervenção definidos no Decreto-lei 190/91, elenca-se um conjunto de atividades a desenvolver em cada um dos domínios. Identifica-se os principais modelos concetuais, bem como as estratégias e os procedimentos a adotar. Por último, são apontados vários aspetos relativos ao perfil funcional, competências e condições de trabalho, de forma a garantir o exercício da atividade do psicólogo escolar de acordo com os padrões de qualidade definidos comunitariamente para a intervenção da psicologia em contexto escolar.
Destina-se a todos os psicólogos a atuar em contexto escolar, independentemente da natureza do seu vínculo contratual, conferido maior consistência e coerência à prática e intervenção psicológica nos contextos educativos e constituindo se como fator orientador e de apoio à prática, potenciador e impulsionador da qualidade do serviço prestado.
Convidam-se todos os interessados a enviar sugestões de melhoria, até ao dia 5 de janeiro de 2017, para dseeas@dge.mec.pt.

Retirado de:
 http://www.dge.mec.pt/referencial-tecnico-para-os-psicologos-escolares-consulta-publica

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Queres ser o primeiro voluntário do Corpo Europeu de Solidariedade?




A Representação da Comissão Europeia em Portugal, em parceria com a Fundação AMI, irá lançar, no dia 7 de dezembro, a nível nacional, o Portal do Corpo Europeu de Solidariedade. 

O evento decorrerá na sede da Fundação AMI e é aberto ao público. Aparece, informa-te sobre a iniciativa, troca ideias e experiências e sê dos primeiros a inscreverem-se no Portal do Corpo Europeu de Solidariedade (https://europa.eu/youth/SOLIDAR )


Lisboa, 07 dez (Lusa) -- Os jovens europeus até aos 30 anos que queiram ajudar em situações de crise podem inscrever-se, a partir de hoje, no portal do Corpo Europeu de Solidariedade, uma iniciativa que em Portugal conta com o apoio da AMI. aqui

O portal vai ser apresentado hoje, a nível nacional, na sede da Fundação AMI, em Lisboa, numa iniciativa da responsabilidade da Comissão Europeia, aberta ao público em geral, mas que tem como principal objetivo dar a conhecer o portal aos jovens e às associações de solidariedade que queiram fazer parte.
Nesta iniciativa, "os jovens interessados em participar numa atividade de solidariedade em toda a Europa, podem informar-se sobre o novo Corpo, trocar ideias e experiências e ser dos primeiros a inscreverem-se no Portal do Corpo Europeu de Solidariedade", explica a Representação da Comissão Europeia em Portugal, em comunicado.
O Corpo Europeu de Solidariedade foi pensado e criado para os jovens com "consciência social, que estão dispostos a ajudar a sociedade de uma forma útil e ajudar a promover a solidariedade", defendeu o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, quando anunciou esta iniciativa, em setembro de 2016.
Nesse sentido, o Corpo Europeu de Solidariedade destina-se aos jovens entre os 17 e os 30 anos que queiram "ajudar as organizações não governamentais (ONG), autoridades locais ou empresas privadas ativas na resposta às situações de crise em toda a União Europeia", tendo como meta a adesão de 100 mil jovens até 2020.
"Os jovens poderão participar em ações e projetos de natureza abrangente, nas áreas de educação, cuidados de saúde, integração social e integração no mercado de trabalho, assistência na distribuição de alimentos, construção de abrigos, acolhimento e integração de migrantes e refugiados, proteção do ambiente e prevenção de catástrofes naturais", lê-se no comunicado.
Terá a vertente de voluntariado, oferecendo aos jovens a oportunidade de fazer serviço voluntário a tempo inteiro por períodos de dois a doze meses, e a vertente profissional, que irá proporcionar oportunidades de emprego, formação ou estágio, por um período mínimo de quatro meses.
As organizações que participem neste Corpo Europeu terão que assinar uma Carta dos Princípios Fundamentais, a que têm de aderir, passando a poder recrutar participantes através do site do Corpo Europeu de Solidariedade.
A partir de hoje, o sistema de registo está aberto a todos os jovens interessados, sendo que a ficha de inscrição "estará em breve disponível à pesquisa que as organizações queiram empreender para encontrar candidatos adequados entre os jovens registados".
Depois do registo, os jovens podem especificar os países onde gostariam de participar, indicar se preferem fazer voluntariado ou ter uma experiência laboral, que atividades gostaria de fazer e que competência tem, sendo que o registo fica disponível nas 24 línguas oficiais da União Europeia.
Aos jovens que participem, o Corpo Europeu de Solidariedade disponibiliza alojamento, alimentação, as despesas de viagem, seguro e uma mesada. As despesas de deslocação e as ajudas de custo serão pagas aos formandos e estagiários, sendo que os estagiários terão sempre um contrato de trabalho e um salário.
Todos os participantes terão direito a um certificado especificando as atividades em que participaram neste contexto.
SV//GC

La Función Ejecutiva -- Habilidades para la vida y el aprendizaje



Center on the Developing Child at Harvard University
Para información sobre los estudios o las fuentes de datos, visite nuestro sitio web: http://www.developingchild.harvard.edu

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Católica, Nova e Universidade do Porto entre as melhores da Europa


O jornal Financial Times divulgou nesta segunda-feira a lista anual das melhores escolas de negócios da Europa e Portugal volta a estar triplamente representado. A Universidade Católica conseguiu o seu melhor resultado de sempre, a 23ª posição, e voltou a ser considerada a líder portuguesa na área. A Universidade Nova de Lisboa também ocupa a 23ª posição e a Universidade do Porto ficou em 62º lugar.

Desde 2008, quando integrou o ranking, a Católica Lisbon School of Business & Economics tem sido considerada a melhor a nível nacional na área dos negócios. De 2015 para cá subiu três lugares, passando da 26ª para a 23ª posição – a melhor que já conseguiu. No ranking dos mestrados em gestão (MBA), consta no 15º lugar, nos mestrados em gestão a tempo inteiro (EMBA) conseguiu o 52º, nos mestrados em gestão para executivos ficou em 46º e, na lista das formações para executivos, alcançou a 21ª posição, tanto no programa “aberto”, como no “customizado”.
Para Francisco Veloso, director da Católica Lisbon School, este resultado “é motivo de grande orgulho”. “A Católica-Lisbon foi pioneira em Portugal no reconhecimento do Financial Times, tem liderado este ranking de forma muito consistente e este ano conseguiu a melhor posição alguma vez alcançada por uma escola portuguesa. Este resultado espelha a excelência e a qualidade do ensino e investigação da faculdade, reforçando o nosso compromisso de inspirar o futuro dos nossos alunos”, referiu o responsável num comunicado enviado às redacções.
Também na 23ª posição, mas a surgir abaixo na contagem, está a Nova Scholl of Business and Economics, que registou igualmente uma subida de várias posições, já que no ano anterior ocupava o 28º lugar. Quanto ao ranking dos MBA, ficou em 15º e, nos EMBA, foi a 52ª classificada, exactamente como a Católica. No entanto, nas duas categorias seguintes, conseguiu resultados diferentes: nos mestrados em gestão para executivos ficou em 16º e nas duas subcategorias das formações para executivos em 29º. Para Daniel Traça, director da Nova School of Business and Economics, a classificação da instituição no ranking do Financial Times “é o resultado da aposta na internacionalização, um dos marcos no projecto de desenvolvimento” da instituição.
A terceira escola portuguesa distinguida, a Porto Business School, da Universidade do Porto, conseguiu o 62º lugar no ranking. Já é o quinto ano consecutivo em que é distinguida pelo Financial Times e foi a única das três escolas portuguesas a subir na categoria dos MBA, ocupando agora a 54ª posição. Apesar de não constar na listagem dos mestrados em gestão para executivos, a escola conseguiu boas posições nas duas subcategorias das formações para executivos: ficou em 33º lugar no módulo “aberto” e em 30º no “customizado”.
Fonte: Jornal Publico 5.12.16


sábado, 3 de dezembro de 2016

Guia do professor sobre prevenção ao cyberbullying



A seção de São Paulo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), com apoio da Secretaria Estadual da Educação, lançou ontem guia do professor sobre prevenção ao cyberbullying - Recomendações e boas práticas para o Uso seguro da Internet para Toda a Família.
O material reúne questões legais e éticas que devem ajudar o atendimento dentro e fora de sala de aula. A proposta é que a cartilha se some ao trabalho já realizado na rede estadual com os professores mediadores e o Sistema de Proteção Escolar.
Desde 2010, o programa capacita educadores para atuar diretamente na prevenção e mediação de conflitos em unidades de ensino fundamental e médio.
O bullying e as consequências desse tipo de intimidação também são temas recorrentes de ações da OAB. Em 2015, a entidade formalizou a Comissão de Direito Antibullying. (AZ).
Fonte: http://www.comerciodojahu.com.br/


Como criar um learning diary



Um diário de aprendizagem pode funcionar como uma útil ferramenta de partilha e aprendizagem e por isso também como um instrumento de avaliação, reflexão e aplicação da aprendizagem pessoal. Consegue-se, com a sua utilização, incentivar os participantes a fazerem uma introspeção, a aplicarem informações e a formarem pontos de vista e opiniões pessoais, algo fundamental em qualquer área, como é o caso do desenvolvimento sustentável. Permite, ainda, a todos os envolvidos, uma forma de melhor expressarem as suas experiências, apoiar o crescimento pessoal, assim como reconhecer os pontos fortes e fracos na sua aprendizagem

O artigo sobre o  learning diary, está na página 51 de:  

D&F – Revista para gestores e formadores, Nº 13 - que dedica esta edição ao desenvolvimento sustentável.

Aceder à Revista em: http://opac.iefp.pt:




quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Guidelines for Child Online Protection


The growing global issues surrounding online safety and cybersecurity require a global response, especially when it comes to the protection of our youngest and most vulnerable digital citizens: our children. Guidelines for Child Online Protection have been prepared by ITU in collaboration with COP partners in order to establish the necessary foundation for a safer and more secure cyber world for future generations. The guidelines are meant to be adapted and adopted by all different stakeholders groups. To date, four sets of guidelines have been developed for:

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

PLATAFORMA Skills Jovem


http://www.skillsjovem.pt/ 
(trabalhar as competências para a vida)

Skills Jovem é uma plataforma gratuita que quer ajudar jovens a trabalhar "soft skills" como comunicar, decidir, resolver problemas, gerir-se a si próprio, trabalhar em equipa, profissionalismo e liderança. Uma plataforma de formação online em competências pessoais, destinada a 620 mil jovens universitários ou abrangidos pelo programa Garantia Jovem, foi lançada esta terça-feira em Lisboa e visa facilitar a transição destes jovens para o mercado de trabalho.

Manual de Orientação sobre a Saúde de Crianças e Adolescentes na Era Digital



Está disponível para download o Manual de Orientação sobre a Saúde de Crianças e Adolescentes na Era Digital produzido pelo Departamento Científico de Adolescência da SBP. (Brasil)
Contém orientações bem práticas de como equilibrar o tempo passado com as tecnologias, proteger a criança e melhorar a interação.
Retirado de: 
https://www.sbp.com.br/

terça-feira, 29 de novembro de 2016



Já estão disponíveis as informações-Prova 2016/2017:

- Provas de  Aferição
- Provas finais de Ciclo - 3.º Ciclo Ensino Básico
- Exames Finais Nacionais do Ensino Secundário

Despacho n.º 14202-B/2016

Presidência do Conselho de Ministros, Finanças, Educação, Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Saúde, Economia, Ambiente, Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural e Mar - Gabinetes da Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa e dos Ministros Adjunto, das Finanças, da Educação, do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, da Saúde, da Economia, do Ambiente e da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural e da Ministra do Mar 
Determina a criação da Comissão Nacional de Combate ao Desperdício Alimentar.
ACEDER: AQUI

OBJECTIVOS
.....
f) Propor medidas de redução do desperdício alimentar que integrem objetivos de segurança alimentar, educação escolar, saúde pública, combate à pobreza e de boas práticas na produção, na indústria agroalimentar, na distribuição e no consumo

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Guia prático para a intervenção em micro, pequenas, médias empresas


Consumo de substâncias psicoativas reflexos em meio laboral Com este Guia propomo-nos abordar a prevenção e a intervenção nesta área, para evitar, reduzir ou resolver estes problemas. Para facilitar a sua leitura optámos por organizá-lo sob a forma de perguntas (mais frequentes) e as respetivas respostas. Todas as atividades profissionais comportam riscos, embora em algumas os riscos sejam mais significativos que noutras. Deste modo, a intervenção dos serviços de segurança e saúde no trabalho não deve estar apenas focada na exposição aos fatores de risco profissionais, mas contemplar ainda outros componentes que podem agravar ou potenciar esses riscos.

VERSÃO AMIGÁVEL DA CONVENÇÃO DE LANZAROTE


A Convenção do Conselho da Europa para a Proteção das Crianças Contra a Exploração Sexual e os Abusos Sexuais tem  50 artigos, mas não são fáceis de entender por crianças e jovens, pelo que esta publicação foi preparada especialmente para dar a conhecer aos seus leitores mais jovens os direitos e a proteção dadas pela Convenção.
ACEDER ao ebook http://www.dge.mec.pt/

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Novo 'ranking' escolar combina aprovações e exames nacionais


Escolas que retêm alunos antes dos anos de exame são penalizadas pelo novo indicador elaborado pelo ministério.

Ministério da Educação apresenta indicador da qualidade das escolas que compara alunos que partiram do mesmo nível de resultados e cruza elementos da avaliação interna e da externa - indicador dos "percursos directos de sucesso"
Continuar a ler: http://www.dn.pt/portugal/

«VIOLENTÓMETRO» MEDE ÍNDICES DE VIOLÊNCIA


Vai ser apresentada sexta-feira na UTAD uma ferramenta que permite detetar sinais de atitudes violentas e evidenciar o risco a que estão expostos os cidadãos. Esta é uma das iniciativas que assinalam o Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres.
A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) vai realizar uma iniciativa que visa alertar os estudantes universitários para a identificação, prevenção e denúncia de comportamentos violentos. O «Violentómetro» vai decorrer no dia 24 de novembro, entre as 10 e as 12 horas, no Pólo I da Escola de Ciências Humanas e Sociais, na Biblioteca e na Escola de Enfermagem/Ciências da Saúde.
A organização do evento partiu do curso de Psicologia da UTAD e este está integrado num conjunto de atividades que pretendem assinalar o Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres, que se comemora a 25 de novembro. A Associação de Apoio à Vitima (APAV) e a Câmara Municipal de Vila Real, através do projeto Mais Social, associaram-se a este projeto.
O «Violentómetro» resulta de um processo de investigação cujo objetivo é identificar comportamentos violentos quotidianos, alertar sobre eles e evidenciar o risco a que se expõem mulheres e homens. Foi adaptado de um modelo desenvolvido por uma universidade mexicana e consiste num conjunto de materiais gráficos e didáticos em forma de régua, no qual se visualizam manifestações implícitas e explícitas de violência, algumas destas comuns no quotidiano e na sociedade.
«Muitos destes comportamentos decorrem de papéis de género transmitidos deste muito cedo, aprendidos e reforçados quotidianamente, e isso permite que, em muitas ocasiões, se gerem situações de violência de diferentes tipos», explica Ricardo Barroso, docente da UTAD. 
O investigador acrescenta que o «Violentómetro» se trata «de uma ferramenta de sensibilização que visa ajudar na deteção, alerta e denúncia deste tipo de situações que afetam a liberdade e tranquilidade de mulheres e homens, que ocorrem nas relações interpessoais e que podem ser experienciados nos contextos escolares, laborais e nas relações de intimidade».
Fonte: Canal Superior