domingo, 28 de fevereiro de 2016

Guia oferece orientações sobre cuidado e educação na Primeira Infância



O material traz orientações para nortear a atuação de agentes da família, profissionais de saúde, professores, pais e formuladores de políticas na promoção do desenvolvimento integral de crianças de 0 a 5 anos de idade.
Uma das prioridades do guia é ressaltar a importância do brinquedo e o direito à brincadeira nesse período do desenvolvimento infantil. Traz dicas e sugestões para o trabalho das secretarias municipais de Educação e Saúde  - BRASIL - junto a professores de educação infantil, famílias, conselhos tutelares e adolescentes.


sábado, 27 de fevereiro de 2016

“Manual de Apoio Psicossocial a Migrantes”




Lançado a 25 fev de 2016
Um manual de apoio aos técnicos que recebem migrantes de toda a Europa lançado pela APAV, na passada quinta-feira, na sede nacional da Cruz Vermelha Portuguesa. O livro contém sugestões e orientações para minimizar o impacto da migração nos migrantes e nos técnicos.  
A iniciativa contém várias sugestões para situações que possam surgir no decorrer dos processos de apoio. "Estratégias de comunicação, procedimentos para lidar com burnout ou stress pós-traumático bem como indicações de quando devem os envolvidos serem enviados para clinicas psiquiátricas especializadas" fazem parte do rol de instruções, segundo explicou ao PÚBLICO Bruno Brito, asssessor técnico da direcção da APAV e psicólogo especialista em traumatologia. 
Pretende-se antever e dar resposta a situações problemáticas com guidelinesdirectas. Esta iniciativa visa tornar mais fácil o desafio colocado aos países europeus ao “nível do acolhimento elementar e ao nível da sua integração”, avança a APAV em comunicado.
Ciente de todos os problemas que os refugiados vivem acrescendo as diferenças culturais, a APAV, em conjunto com a Cruz Vermelha, lança este  “Manual de Apoio Psicossocial a Migrantes” onde o objectivo passa também por colmatar as áreas com menos informação. “Dos muitos contributos que têm surgido para o apoio a técnicos, a área do trauma psicológico era uma das que mais carecia de informação precisa e orientações.”, nota a associação em comunicado.
Para a elaboração do manual, a APAV contou com as experiências recolhidas ao longo dos anos junto das vítimas e também com o conhecimento dos profissionais que diariamente gerem e apoiam situações de apoio em diferentes cenários de crise.  
Texto editado por Andrea Cunha Freitas/PUBLICO


quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

G.A.M.E. – Gerar Aprendizagem, Motivação e Empenho

Com Hélder Cacito Marto na http://webinar.dge.mec.pt

O GAME é um processo de gamificação e mobilização de pares para o sucesso. É uma competição interturmas que visa a melhoria da assiduidade, pontualidade, comportamento e cumprimento de tarefas, por parte dos alunos, dentro e fora da sala de aula. Nasceu em 2014-15, na Escola Secundária de Mira de Aire, e envolveu todos os professores e alunos. Em 2015-16, estendeu-se ao Agrupamento de Escolas de Porto de Mós (AEPMOS), envolvendo todos os professores e alunos do 5.º ao 7.º ano. É baseado num sistema de pontos (“netos” – termo para “dinheiro”, em calão mirense; “castelos” e “mós”, nas adaptações territoriais do AEPMOS) atribuídos ao cumprimento de requisitos por toda a turma, aos resultados escolares e sua evolução e à participação em atividades (clubes, ateliês, desporto escolar e PAA). Há prémios finais para a melhor turma e prémios intermédios que garantem possibilidades de sucesso até ao fim – não há impossíveis! O feedback aos alunos é imediato (pontos na sala e divulgação na hora das pontuações de cada turma, através da utilização de meios eletrónicos).

sábado, 20 de fevereiro de 2016

LIVRO: Ansiedade em Crianças



LIVRO DISPONÍVEL PARA DOWNLOAD NO SITE: http://www.redecaps.org/
Organizada por Simone Assis e publicada pela Fiocruz em 2007, a obra além de descrever um panorama dos principais transtornos de ansiedade discute a prática de atenção a essa população

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

BRASIL: Lei 13.185/2015


A Lei 13.185/2015  -
Institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying).

Obriga escolas e clubes a adotarem medidas de prevenção e combate o bullying entrou em vigor nesta semana. O projeto determina que seja feita a capacitação de docentes e equipes pedagógicas para implementar ações de prevenção e solução do problema, assim como a orientação de pais e familiares, para identificar vítimas e agressores.
Consultar a lei AQUI

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Cibercrime no Ambiente Escolar




O espaço virtual – a Internet e em especial as redes sociais -, com todas as suas virtudes e contributos para o progresso humano, é um campo fértil para a manifestação de atitudes censuráveis, não raras vezes de coloração criminal. O meio escolar é propício à expansão de alguns desses comportamentos desviantes, que importa conhecer para melhor os enfrentar e combater.
Neste webinar serão abordadas questões relacionadas com o cibercrime no ambiente escolar.
Pedro Verdelho
Magistrado do Ministério Público desde 1990.
Entre outros tribunais, exerceu funções no Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa, na secção especializada na investigação de crimes informáticos. Foi docente do Centro de Estudos Judiciários, na área penal, da qual foi coordenador. Representante de Portugal na União Europeia e no Conselho da Europa, em assuntos relacionados com a cibercriminalidade. Presentemente, coordenador do Gabinete Cibercrime da Procuradoria-Geral da República.


Investigadores criam jogos para se aprender com dispositivos inteligentes


Uma equipa multidisciplinar de investigadores de Coimbra desenvolveu jogos para se estudar literatura, história ou matemática, através de smartphones ou tablets, proporcionando uma aprendizagem “muito mais aliciante e interactiva”, anunciou a Universidade de Coimbra (UC), nesta segunda-feira.
“A partir de um smartphone ou tablet, já é possível estudar Os Maias, através de um desafio semelhante ao concurso Quem Quer Ser Milionário e completar uma caderneta de cromos virtuais”, explica a nota à imprensa. Os jogos também permitem aprender história “durante uma aventura que implica ser jornalista”, resolver polinómios, para se “avançar nos níveis de um templo”, ou explicar “a evolução da comunicação humana com recurso a um extraterrestre”, exemplifica a UC.
Desenvolvidos para serem utilizados em contexto escolar, a partir de dispositivos móveis, em diferentes níveis de ensino (2.º e 3.º ciclos do ensino básico, secundário e superior), os jogos foram previamente testados, “com sucesso, em estabelecimentos de ensino” das regiões Centro e Norte do país, onde os seus autores “foram perceber, junto dos alunos, quais as suas preferências relativamente aos jogos em dispositivos móveis”. 
De acordo com Ana Amélia Carvalho, coordenadora do projecto financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e professora catedrática da Faculdade de Psicologia e de Ciências de Educação de Coimbra, a reacção dos alunos e professores “tem sido muito positiva”. O objectivo é “rentabilizar os dispositivos mais populares entre as gerações mais novas”para “implementar uma aprendizagem muito mais aliciante e interactiva”, explica. 
“É necessário alterar as práticas de ensino, ir além da aula expositiva tradicional”, sustenta a especialista, considerando que, para isso, “nada melhor do que recorrer às tecnologias que os estudantes mais usam”. Se os alunos gostam de jogos e levam os dispositivos para a escola, “então há que os aproveitar para ensinar e aprender, contribuindo também desta forma para o combate ao insucesso escolar”, defende Ana Amélia Carvalho, citada pela UC.
Apenas disponíveis, para já, para o sistema operativo Android, os jogos vão ser lançados oficialmente a 7 de Maio, no terceiro encontro sobre jogos e mobile-learning, em Coimbra, na Faculdade de Psicologia e Ciências da  Educação. Disponibilizados a todas as escolas interessadas, os quatro jogos já desenvolvidos pela equipa multidisciplinar de investigadores da UC, em colaboração com um programador e um grupo de designers, são Os Maias. Becoming an expert!, 1910, Tempoly e Konnecting, O homem, ser comunicante.
Destinado essencialmente a estudantes do 11.º ano, o primeiro destes jogos é composto por 448 perguntas com respostas de escolha múltipla, divididas por vários níveis, e inclui um desafio semelhante ao concurso televisivo Quem Quer Ser Milionário. O segundo, 1910, cujos principais destinatários são alunos entre o 6.º e o 9.º ano de escolaridade, é “um jogo de aventura" em que o jogador é “convidado a auxiliar um jornalista enquanto se desenrolam vários episódios que levaram à implantação da República em Portugal”.
Dirigido a estudantes do 7.º ao 12.º anos, Tempoly envolve a resolução de vários quebra-cabeças, enquanto Konnecting, O Homem, ser comunicante, para alunos de licenciatura em Ciências da Educação, “retrata a evolução da comunicação humana desde a pré-história”, mas cabendo a um extraterrestre “reportar o modo como os seres terrestres comunicam”. 
Fonte: JORNAL PÚBLICO/LUSA; 15. 2. 2015


segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Tem medo de falar em público? Esta app pode ajudar



O Google Cardboard tem uma nova app que promete ajudar aqueles que têm dificuldades ou até medo de falar em público. Chama-se Public Speaking e, através de tecnologia de realidade virtual, cria a ilusão de que há uma audiência em frente ao utilizador.
A Public Speaking oferece duas opções: uma sala de reuniões ou um auditório, ambos com uma audiência animada e barulho de fundo, para tornar a experiência o mais real possível. A app permite ainda adicionar a apresentação do utilizador que será projetada para um ecrã atrás do utilizador bem como um cronómetro.
Com o Cardboard, o utilizador pode olhar em todas as direções, aprender a estabelecer contacto visual, ignorar distrações do público e terminar a apresentação no tempo previsto. Para quem tem o hábito de gesticular enquanto fala, os óculos de realidade virtual são uma boa solução.
A aplicação é gratuita e os criadores estão já a desenvolver mais reações e animações para a audiência, a adicionar novos ambientes e possibilidade de gravar a voz. A versão para iOS será lançada em breve.

Ler mais: http://www.briefing.pt/fibra/35768-tem-medo-de-falar-em-publico-esta-app-pode-ajudar.html#ixzz40EWJvSsi

VEJA TAMBÉM: The Science of Stage Fright - Mikael Cho


sábado, 13 de fevereiro de 2016

Plataforma online Mathvolution


Artigo de Clara Viana que saiu no Publico de 13.2.16, com o título A cada um segundo as suas dificuldades:

Nova plataforma online de Matemática (http://www.mathvolution.com) foi desenvolvida em colaboração com o agrupamento de Carcavelos.
A plataforma online Mathvolution teve origem nas dificuldades que a explicadora de Matemática Inês Santos, 31 anos, sentia em tentar encontrar exercícios compatíveis com o tipo de problemas revelados pelos alunos. E é essa a base da Mathvolution: todos os exercícios estão agrupados por níveis de dificuldade de modo a que cada aluno possa ter “desafios adequados e consiga assim progredir”, diz. Para passar de nível tem de resolver com sucesso os problemas do anterior.
Ela e Bruno Franco, 38 anos, especialista em sistemas de informação, são dois dos seus criadores. “Decidimos que esta aplicação devia ser desenvolvida em colaboração com uma escola, de modo a envolver professores, pais e alunos. O agrupamento de Carcavelos mostrou-se disponível e durante dois anos fomos criando protótipos que depois testávamos aqui. A plataforma, que lançámos em Setembro, é o resultado deste trabalho”, relata Bruno.
Para Luís Guerreiro, professor de Matemática de Carcavelos, a plataforma tem-se revelado também “uma importante ferramenta de diagnóstico”, já que tanto professores como pais podem seguir ali a evolução dos alunos e detectar em que conceitos estão a revelar mais dificuldades.  É o que diz também Ana, aluna do 6.º ano: “Consigo ver onde tenho mais dificuldades e quais as matérias onde tenho de treinar mais, o que antes era difícil para mim. E depois parece um jogo. É divertido de fazer”.
Por enquanto, só existem exercícios para o 6.º ano, mas a partir do próximo ano lectivo a oferta vai alargar-se ao 5.º e 7.º ano de escolaridade. Para os alunos de Carcavelos a utilização é gratuita. Para os outros existem duas opções: um pacote base, que é gratuito; e um outro a que designam depremium, que custa cinco euros/mês. Actualmente têm 2500 utilizadores registados.


sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

MADEIRA: Estruturas orgânicas da Educação

REGIÃO AUTONOMA da MADEIRA

 - Decreto Regulamentar Regional n.º 7/2016/M Aprova a orgânica da Direção Regional de Educação e altera a orgânica da Secretaria Regional de Educação, aprovada pelo Decreto Regulamentar Regional n.º 20/2015/M, de 11 de novembro. ACEDER AQUI

 - Decreto Regulamentar Regional n.º 20/2015/M -  Aprova a estrutura orgânica da Secretaria Regional de Educação e do Gabinete do Secretário Regional. ACEDER AQUI

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Parecer n.º 2/2016

Parecer n.º 2/2016 - Diário da República n.º 29/2016, Série II de 2016-02-11
Educação - Conselho Nacional de Educação 
Parecer sobre avaliação das aprendizagens e realização de provas finais no ensino básico.
ACEDER AQUI

THE FRIENDS PROGRAMS




Building resilience and preventing/treating anxiety and depression in individuals and families of all ages.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Universidad de Navarra - O cerebro adolescente

PREVENIR A VIOLÊNCIA NO NAMORO



Título: PREVENIR A VIOLÊNCIA NO NAMORO - N(AMOR)O (IM)PERFEITO - 
FAZER DIFERENTE PARA FAZER A DIFERENÇA 

Editor: Unidade de Investigação em Ciências da Saúde: Enfermagem Escola Superior de Enfermagem de Coimbra

Ano de Publicação: 2013 

imagem Bispa lucia.com

Práticas Baseadas na Evidência

Práticas Baseadas na Evidência
This section features practices that have demonstrated their effectiveness through rigorous research.  These practices have been reviewed by a team of experts and summarized in a way that is easy to understand.





Find a practice:
  • Browse by name
  • Browse by policy category
  • Browse by recommendation pillar
  • Browse by country
  • Browse by evidence level
http://europa.eu/epic/practices-that-work/evidence-based-practices/index_en.htm

Site: "Não é copianço"



Neste site encontras fichas e testes direcionados especialmente ao 12º ano (mas também ao 11º ). Neste momento são apenas de português e de matemática mas se tudo correr bem e houver tempo haverá no futuro mais disciplinas! 
Todos os exercícios vêm acompanhados com soluções e/ ou resoluções! 
O objetivo é tornar público bom material de estudo proveniente de colégios e livros que foi cuidadosamente organizado. 
Devido às mudanças nos programas este material só será útil por mais dois anos, mas até lá aproveitem!

“Cartão Vermelho ao Bullying"




O Bullying é um problema que está cada vez mais presente no desporto.
Partindo do pressuposto que todas as crianças e jovens têm direito a praticar desporto, independentemente do seu nível, e de fazê-lo em condições de segurança e livres de bullying, o IPDJ. I.P., através do Plano Nacional de Ética no Desporto - PNED, e a Faculdade de Motricidade Humana, lançam esta brochura informativa.

Chama-se “Cartão Vermelho ao Bullying", e destina-se a crianças e jovens, em particular. Trata-se de uma ferramenta educativa e preventiva contra o bullying, AQUI (brochura)

Plataforma de Apoio a Jovens Ex-acolhidos (PAJE)


Especialistas de várias áreas criaram uma plataforma para apoiar jovens que saem de lares de acolhimento e enfrentam dificuldades em iniciar uma vida autónoma, ajudando-os a procurar emprego, casa ou dando-lhes apoio emocional.
A ideia de criar a Plataforma de Apoio a Jovens Ex-acolhidos (PAJE) foi lançada pelo investigador João Pedro Gaspar, que durante 15 anos apoiou crianças e jovens acolhidos institucionalmente e percebeu as dificuldades que enfrentam quando saem da instituição.

Esta situação foi verificada num estudo que realizou para a sua tese de doutoramento, apresentada em 2014 na Universidade de Coimbra, com mais de 100 jovens adultos que viveram grande parte da sua infância em instituições de acolhimento.
"Uma das conclusões a que cheguei é que as instituições acabam por só funcionar enquanto lá estão, após a saída não estão preparadas para voltar a apoiar estes jovens adultos, mas ainda meninos", disse à agência Lusa o investigador do Instituto de Psicologia Cognitiva e Desenvolvimento Humano e Social (IPCDHS) da Universidade de Coimbra.
Segundo João Pedro Gaspar, muitos destes jovens quando saem do lar não têm uma rede de apoio que os ajude a iniciar um novo percurso de vida.
O estudo refere que uma autonomização brusca, sem uma rede de contactos familiares ou outros, tende a ser percecionada pelos jovens como uma "transição negativamente marcante" e a principal responsável por uma "vida adulta sem um rumo definido nem uma integração social adequada".
Todos os dias João Pedro Gaspar ajuda "meninos e meninas" a construir uma vida fora dos muros das instituições, uma ajuda que decidiu formalizar com a criação desta rede que conta com o apoio de uma equipa formada por especialistas de várias áreas (finanças, saúde, segurança social, emprego, psicologia) e do IPCDHS.
A intenção é "chegar a mais jovens adultos que necessitem de apoio em várias áreas", explicou.
Considerando estes jovens como "vítimas prematuras, eventualmente com consequências mais graves e duradouras", a PAJE propõe-se a prestar apoio psicológico e jurídico com o objetivo de colmatar, no período pós-acolhimento, "a falta de amparo a uma população maioritariamente com redes sociais frágeis e alguma ignorância do funcionamento das instituições (saúde, financeiras, segurança social, etc.)".
Além de promover a inclusão social e laboral destes jovens, a plataforma pretende também ajudá-los a resolver situações burocráticas do quotidiano, como arrendar uma casa ou preencher o IRS.
Prestará também apoio emocional, "extremamente importante para quem já sofreu abandonos interiores", disse o investigador, sublinhando que a intenção "é criar alguma estabilidade a quem tanto necessita".
Numa fase inicial, a divulgação abrange principalmente a região centro litoral. "Em Coimbra residem centenas de crianças e jovens institucionalizadas e um número elevado de jovens adultos, agora sem apoio dos Lares onde cresceram, que ali (sobre)vive".
Além da ferramenta online, a PAJE terá um espaço de atendimento no IPCDHS, disse o investigador, adiantando que "a plataforma está preparada para arrancar logo que haja jovens a recorrer aos serviços".
"Entendo que numa época em que os valores com os quais crescemos e acreditamos parecem perigar, colocar os conhecimentos e experiência de profissionais voluntários, pode restituir um pouco de justiça a quem não foi bafejado pela sorte, numa fase precoce da vida", salientou.

Diário Digital com Lusa

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

"Manual para uma Alimentação Saudável em Jardins de Infância"



A Direcção-Geral da Saúde disponibiliza o "Manual para uma Alimentação Saudável em Jardins de Infância". Destina-se aos educadores de infância e ao pessoal directamente envolvido na preparação e fornecimento de alimentação às crianças.

Este manual contém informação básica sobre alimentação saudável da criança em idade pré-escolar, designadamente:
  • Importância da educação alimentar e seus objectivos;
  • Alimentação e nutrição;
  • Grupos dos alimentos;
  • Necessidades nutricionais da criança em idade pré-escolar;
  • Distribuição das refeições;
  • Regras de higiene na preparação das refeições.
Para além de uma necessidade fundamental, a alimentação é um dos factores do ambiente que mais afectam a saúde. Já não basta ter acesso a bens alimentares. É necessário "saber comer" - saber escolher os alimentos de forma e em quantidades adequadas às necessidades diárias, ao longo de diferentes fases da vida.

Se, por um lado, muitos dos nossos hábitos alimentares são condicionados desde os primeiros anos de vida, por outro, uma alimentação saudável durante a infância é essencial para um normal desenvolvimento e crescimento, bem como na prevenção de problemas de saúde ligados à alimentação.

O papel da família na alimentação e na educação alimentar das crianças e jovens é inquestionável, mas a escola, e em especial o jardim-de-infância, assume uma particular importância.

Pode consultar o "Manual para uma Alimentação Saudável em Jardins de Infância" , AQUI

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Emilie Wapnick: Why some of us don't have one true calling



What do you want to be when you grow up? Well, if you're not sure you want to do just one thing for the rest of your life, you're not alone. In this illuminating talk, writer and artist Emilie Wapnick describes the kind of people she calls "multipotentialites" — who have a range of interests and jobs over one lifetime. Are you one?
Conferência traduzida em várias línguas.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Portaria n.º 11-A/2016

Portaria n.º 11-A/2016 – Diário da República n.º 20/2016, 1º Suplemento, Série I de 2016-01-29
Finanças e Trabalho, Solidariedade e Segurança Social
Atualiza os montantes do abono de família para crianças e jovens, do abono de família pré-natal, e respetivas majorações, e revoga a Portaria n.º 1113/2010, de 28 de outubro.
ACEDER AQUI

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016